Petróleo fecha em queda pressionado por aumento da produção norte-americana – Jornal do Comércio

Os contratos futuros de petróleo fecharam em queda nesta terça-feira (30) pressionados por preocupações renovadas sobre o aumento da produção dos Estados Unidos.

Na Nymex, o petróleo WTI para março caiu US$ 0,06 (1,61%) e fechou a US$ 64,50 por barril. Já na ICE, em Londres, o petróleo para abril recuou US$ 0,68 (0,98%), encerrando aos 68,52 por barril.

Os contratos estenderam as perdas observadas na segunda-feira, quando o ministro de Petróleo do Iraque, Jabbar al-Luaibi, comentou que o país irá aumentar a capacidade de exportação de óleo em 400 mil barris por dia neste ano.

O Iraque faz parte da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que no fim do ano passado reforçou o compromisso de cortar a produção a fim de elevar os preços e equilibrar o mercado.

Essa notícia, associada a sinais de que a produção americana está avançando, pesou no mercado. No começo do mês, a Agência Internacional de Energia (AIE) disse que espera que a produção de petróleo nos EUA ultrapasse a da Arábia Saudita, escalando para acima dos 10 milhões de barris por dia em 2018 – superando um nível visto pela última vez em 1970.

Além disso, na última sexta-feira, a Baker Hughes informou que o número de poços e plataformas de petróleo em operação nos EUA subiu 12, de 747 para 759 na semana. Somado às operações de gás natural, o número total passou de 936 para 947.

O declínio do petróleo acontece num dia de queda dos mercados acionários globais e no preço de commodities como um todo. Os investidores estão ansiosos pela conclusão da reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), nesta quarta, atrás de pistas sobre o ritmo de aperto monetário neste ano.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!