Devia ser proibido criar estatal, diz diretora do BNDES de FHC – Exame

“Tem que privatizar tudo”, disse a economista foi diretora da área de desestatização do BNDES no governo FHC

access_time 31 jan 2018, 15h08

São Paulo – “Devia ser proibido criar estatal. Depois que abre uma estatal, você não fecha mais. O que faz a Telebras, a Infraero, a Vlec?”, disse nesta quarta-feira (31) a economista Elena Landau em evento realizado do banco Credit Suisse.

A economista foi diretora da área de desestatização do BNDES no governo Fernando Henrique Cardoso. No final do ano passado, deixou o PSDB após 25 anos no partido e está agora no Livres (novo PSL).

Olhando o panorama eleitoral divulgado hoje pela Datafolha, ela diz que Jair Bolsonaro “não privatiza nada”, assim como Ciro Gomes.

No entanto, acredita que os possíveis candidatos Geraldo Alckmin, João Dória, João Amoêdo, Luciano Huck e até Marina Silva (“dependendo da equipe”) fariam privatizações caso vençam a eleição.

“A privatização saiu do armário, com grande ajuda da Lava Jato. Pelo pior motivo possível, ela trouxe para nós o que significa ter empresa estatal”.

Eletrobras

Seis meses após deixar a presidência do Conselho de Administração da Eletrobras, Landau disse que a privatização recentemente anunciada da empresa vai acabar saindo de alguma forma pois não há outra solução.

Em um painel anterior, o secretário do Programa de Parcerias de Investimento (PPI), Marco Aurélio Silva, afirmou que o calendário está mantido para os projetos de ferrovias, portos e estradas:

“A despeito da Copa do Mundo e das eleições, na perspectiva técnica e no âmbito do PPI e do Ministério, absolutamente nada mudou e nada vai mudar em julho, em outubro ou em dezembro”.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!