Bolsas da Ásia ficam sem direção, com forte ganho em Tóquio e queda em Xangai – Jornal do Comércio

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta quinta-feira (1), com algumas se recuperando de perdas recentes e as chinesas mantendo a tendência negativa após dados decepcionantes sobre a atividade manufatureira na segunda maior economia do mundo.

Em Tóquio, o Nikkei teve robusta valorização de 1,68% hoje, a 23.486,11 pontos, à medida que o iene se enfraqueceu ante o dólar na tarde de ontem e durante a madrugada. Com isso, o índice japonês interrompeu uma sequência de seis pregões negativos.

O dólar ganhou força após o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) se mostrar otimista em relação à inflação e ao crescimento dos EUA, fatores que sustentam futuros aumentos de juros. Na decisão de política monetária de ontem, o Fed manteve seus juros inalterados, como era amplamente esperado.

Na China, por outro lado, o Xangai Composto recuou 0,97%, a 3.446,98 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto teve queda de 3,02%, a maior desde julho do ano passado, a 1.821,06 pontos.

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial chinês medido pela IHS Markit e pela Caixin Media, que alguns investidores acompanham mais de perto do que o PMI oficial, ficou estável em janeiro ante dezembro, em 51,5, sugerindo modesta expansão da atividade. Segundo Julian Evans-Pritchard, economista sênior da consultoria britânica Capital Economics, a estabilidade do PMI chinês no mês passado sugere demanda mais fraca.

Na esteira das ações da China continental, o Hang Seng caiu 0,75% em Hong Kong, a 32.642,09 pontos.

Em outras partes da Ásia, o sul-coreano Kospi teve alta marginal de 0,08% em Seul, a 2.568,54 pontos, ajudado por ações de siderurgia, e o Taiex subiu 0,51% em Taiwan, a 11.160,25 pontos, mas o filipino PSEi recuou 0,29% em Manila, a 8.738,72 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana foi impulsionada por grandes bancos domésticos e o S&P/ASX 200 avançou 0,87% em Sydney, a 6.090,10 pontos, atingindo o maior nível em três semanas. 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!