Ibovespa fecha em queda com exterior e dado de empego dos EUA – Valor

SÃO PAULO  –  Depois de uma escalada surpreendente em janeiro, o Ibovespa encerrou a semana com queda e intensificou perdas no dia, contaminado pelo mau humor internacional que forçou uma correção para os mercados emergentes e por dados mais fortes de emprego nos Estados Unidos.

O Ibovespa encerrou hoje em baixa de 1,70%, aos 84.041 pontos, depois de inclusive perder esse patamar e bater os 83.831 pontos na mínima do dia. O giro financeiro foi de R$ 8,4 bilhões. Na semana, a queda foi de 1,74%.

Das 64 ações que fazem parte do Ibovespa, apenas cinco subiram, com destaque para a Embraer, maior alta do dia. A ação reage desde a abertura do pregão à notícia da jornalista Miriam Leitão, de “O Globo”, de que a fabricante de jatos deve criar uma terceira empresa com a americana Boeing.

Na reta final do pregão, a Embraer negou, pela segunda vez no mesmo dia, que o acordo com a Boeing para combinação de negócios esteja fechado. Mesmo assim, a maior confiança dos investidores de que uma definição do modelo de negócios esteja próxima levou a ON a subir 4,41%, a R$ 21,30. O giro financeiro também foi destaque ao somar R$ 254,2 milhões, quatro vezes maior do que pregão anterior.

Entre as quedas, papéis de peso levaram o índice a ficar no campo negativo, caso da Petrobras PN (-2,68%, a R$ 19,97), Bradesco PN (-3,11%, a R$ 38,42) e Vale ON (-2,37%, a R$ 40,80), maiores volumes financeiros do dia.

O ambiente pior para os emergentes afetou a bolsa brasileira desde a abertura. O movimento das bolsas americanas bastante negativo também dá justificativa adicional para os investidores saírem de papéis que já tiveram importante ganho recente.

A performance pior da renda variável no mundo também seguiu os dados melhores de emprego nos Estados Unidos. Além da criação de 200 mil vagas de emprego, acima do consenso de 171 mil, o avanço da renda salarial eleva uma aposta em uma trajetória mais forte da alta de juros no país — um juro americano mais alto enxuga a liquidez mundial, reforçando a migração para títulos da dívida americana.

Em relatório, o Itaú BBA destacou que os suportes do Ibovespa abaixo da resistência em 86 mil pontos estão em 84.800 pontos e em 83.800 pontos — sendo esse último o patamar que define se o índice seguirá em realização de lucros mais forte. Acima dos 80.400 pontos, porém, o Ibovespa ainda mantém a tendência de alta no curto prazo.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!