Ibovespa fecha em queda de 1,70%, mas acumula valorização de 10% em 2018 – Jornal do Comércio

Influenciado pelo movimento de realocação de recursos que se seguiu às divulgações de dados da economia americana, que vieram mais fortes do que o esperado, o Ibovespa encerrou a sessão de negócios desta sexta-feira em queda de 1,70%, aos 84.041,34 pontos.

Mas, embora os pares em Nova Iorque tivessem forte desvalorização, a visão mais otimista dos investidores para a bolsa brasileira ajudou a segurar o recuo por aqui durante o pregão, segundo analistas. O índice à vista chegou a bater na mínima do dia, aos 83.831,19 pontos, mas logo voltou ao nível dos 84 mil. Assim, embora encerre a semana com perdas de 1,74%, ainda acumula valorização de 10,00% em 2018.

Indicações de que a economia dos Estados Unidos pode ficar mais aquecida podem levar a quatro em vez de três altas nos juros por lá. Lucas Marins, analista da Ativa Investimentos, ressalta que os títulos do governo americano de dez anos já vinham apontando alta e passaram de 2,65%, no dia 26 de janeiro, para 2,85% agora.

Em razão dessas elevações, há uma saída de recursos da renda variável para a compra de Treasuries. “É apenas um movimento de realocação de recursos, sem grandes tendências”, observou operador da mesa institucional da Renascença Corretora Luiz Roberto Monteiro.

Os dois analistas concordam que o fato de o Ibovespa ter recuado menos do que seu principal par em Nova York, o Dow Jones, mostra que os investidores estão mais otimistas com o Brasil, dadas as perspectivas boas para o crescimento econômico, inflação e taxa de juros baixas e o resultado melhor das empresas. “O nosso mercado está mais forte e isso pode ser visto na diferença da magnitude da queda”, disse Marins.

Monteiro lembra ainda que contribuiu para a queda do Ibovespa o recuo nas cotações para o barril do petróleo no mercado internacional e o recuo dos índices de energia nos Estados Unidos. Isso fez com que as ações da Petrobras e da Vale retrocedessem cerca de 2,5% na sessão de hoje. Os papéis PN e ON da petroleira fecharam em baixa de 2,67% e 2,68%, enquanto as ações ON da mineradora recuaram 2,37%.

Os papéis do setor financeiro na bolsa do Brasil também foram afetados pelo exterior, lembrou o operador da Renascença, influenciados pelas baixas de seus correlatos na Europa após Deutsche Bank anunciar prejuízo no 4º trimestre.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!