Petróleo cai, com dólar e investimentos de petroleiras nos EUA no radar – Jornal do Comércio

Os contratos futuros de petróleo encerraram o pregão desta sexta-feira em queda, pressionados pela valorização do dólar e pela percepção dos analistas de que a produção nos Estados Unidos da commodity pode subir.

A queda do barril do petróleo ocorre em um dia de forte correção dos ativos internacionais, disparada após a divulgação de dados do relatório dos Estados Unidos.

Publicado no final da manhã pelo Departamento do Trabalho, o payroll mostrou que a economia americana gerou 200 mil vagas no mês passado e que o salário médio por hora teve elevação mensal de 0,34%, ambos acima das previsões dos analistas ouvidos pela Dow Jones Newswires, que eram de criação de 177 mil empregos e alta de 0,20% nos rendimentos dos trabalhadores.

O indicador fez com que subissem as apostas dos analistas e operadores de elevação de juros este ano nos EUA, o que fortalece o dólar em última instância. Com a moeda americana mais forte, o petróleo se torna mais caro para investidores de fora dos EUA.

Além disso, operadores citaram ainda as projeções das petroleiras americanas para a produção nos próximos anos. Informações divulgadas no balanço da ExxonMobil, de que a empresa deve investir mais de US$ 50 bilhões nos Estados Unidos nos próximos cinco anos, e no da Chevron, que estimou um crescimento entre 4% e 7% na produção para 2018, apoiaram o movimento de queda nos contratos da commodity. Ambas as estimativas aumentam a percepção do mercado de que a produção nos EUA vai se ampliar.

Na Intercontinental Exchange (ICE), o barril do Brent para abril caiu US$ 1,07 (1,53%), para US$ 68,58. Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o WTI para março recuou US$ 0,35 (-0,53%), para US$ 65,45.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!