Aplicativo libera acesso a canteiros de obras – Jornal do Comércio

O nome do aplicativo criado pela Teclógica para controle de acesso ao canteiro de obras é Catraca Virtual. Mas esqueça o catraca e se foque no virtual. Afinal, a partir de agora, é um smartphone quem irá liberar ou não a entrada dos profissionais nestes ambientes.

“É muito provável que as empresas vão acabar extinguindo as catracas com o tempo e substituindo pelo app. Além da facilidade da tecnologia, o custo de manutenção de uma catraca física e para manter o sistema é muito alto para as empresas”, analisa a coordenadora de marketing da companhia, Ana Paula Felipe.

O uso é bastante simples. Basta baixar o aplicativo em qualquer celular com sistema operacional Android e colocar as credenciais de cada trabalhador. Para garantir o controle dos dados de acesso dos profissionais, a Catraca Virtual é integrada aos módulos de Registros e Segurança do Mobuss Construção, solução de mobilidade para o setor e que atualmente conta com oito módulos.

Nessas aplicações, já é possível obter informações como acompanhamento de presença em reuniões e treinamentos, entrega de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), além da validação da documentação obrigatória de fornecedores e colaboradores.

Assim que chegar, o trabalhador passa o seu crachá, o QR Code, o código de barras no leitor do celular e, em tempo real, é possível ver se existe alguma pendência e qual é. Outra tecnologia que pode ser usada é a transmissão de dados sem fio, apenas aproximando um smartphone de um crachá ou cartão Near Field Communication (NFC), por exemplo. A solução pode ser aplicada ainda em profissionais terceirizados, que são comuns neste segmento.

Com tudo isso, é viável saber se essa pessoa tinha liberação para estar no canteiro naquele dia e horário, ou se está com treinamentos e atestados de saúde em dia. “Antes disso, o profissional era barrado na entrada, e aí era uma corrida para contatar com o setor de recursos humanos das empresas. Agora, o próprio sistema avisa”, destaca a gestora.

A Catraca Virtual foi desenvolvida a partir de uma parceria com a holding de construção Engelux. O foco era criar um app capaz de reduzir custos e melhorar a gestão das informações e a segurança do dia a dia das obras.

“O fato de podermos acessar o aplicativo em nossos smartphones também é um grande facilitador, pois agregará mobilidade em nossas operações e nos trará redução de custos nos canteiros de obras”, ressalta o diretor de engenharia da companhia, William de Souza.

A WOW, uma das primeiras aceleradoras de startups do Brasil, criou mais um grupo de investidores para promover o crescimento de novas startups. Com o novo fundo Investac III, a WOW chega à marca de 165 investidores individuais, o maior número entre as aceleradoras brasileiras. O objetivo é acelerar 24 startups no período de dois anos.

O diretor executivo da WOW, André Ghignatti, explica que alguns dos investidores deste grupo são empreendedores que foram acelerados pela WOW e que já realizaram uma saída, como cash out. “Assim o projeto se realimenta, com dinheiro e conhecimento gerados no ecossistema retornando para o ecossistema. É também um importante reconhecimento por parte dos empreendedores”, analisa.

Para aproveitar ao máximo a expertise de cada um, os investidores serão organizados em clusters. Assim, empreendedores com experiência e networking em determinada área podem auxiliar as empresas com as quais têm mais afinidade.

Os investidores poderão escolher participar de grupos de conhecimento de mercado, como: agrotech, varejo, indústria 4.0, fintech, construtech, etc.; e também de grupos de conhecimento profissional, como marketing e modelo de negócios, user experience e produto, finanças, tecnologia e infraestrutura, vendas, entre outros.

Neste modelo, cada startup terá seu mentor, que servirá como padrinho para canalizar as demandas da startup para o cluster de mercado e networking ou para os clusters de conhecimento profissional específico. Um investidor poderá participar de mais de um cluster.

“A intenção é que cada grupo tenha um investidor ou investidores que representem uma empresa consolidada no setor para auxiliar as novas startups”, diz Ghignatti. A WOW já conta com 45 startups aceleradas, mais de R$ 8 milhões investidos e mais de R$ 19 milhões captados em follow on.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!