Liquidação prossegue e Bolsas da Europa fecham em queda forte – Jornal do Comércio

A onda de vendas nos mercado de ações prosseguiu nesta segunda-feira (5)na Europa, o que fez com que as principais bolsas encerrassem em quedas firmes. O índice pan-europeu Stoxx 600 terminou em queda de 1,56%, para 382,00 pontos.

A semana começa na Europa com o mesmo tom pessimista visto nos mercados acionários nas últimas sessões. A correção dos preços dos ativos vem ao mesmo tempo em que os principais bancos centrais emitem alertas de que o crescimento está fortalecido e a inflação se aproxima das metas, o que abre espaço para apertos monetários mais aprofundados. Com a probabilidade de o custo do dinheiro ficar mais caro, as vendas de ações prosseguem.

Nesta segunda-feira, o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, afirmou que a economia da zona do euro está se expandindo mais forte que o esperado e que as medidas adotadas pela instituição permitirão que a inflação atinja a meta gradualmente.

No front macroeconômico, os números seguem robustos. No período da manhã, a Markit informou que o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro subiu de 58,1 em dezembro para 58,8 em janeiro, atingindo o maior nível desde junho de 2006.

“As ações parecem estar preparadas para uma correção, que tem deixado muitos apostadores da alta preocupados com o fato de o rali ter chegado ao fim”, comentou em nota o analista James Hughes, da corretora britânica AxiTrader.

O setor mais impactado pela venda de ações foi o bancário, altamente relacionado com os programas de estímulo à economia. As ações do alemão Deutsche Bank recuaram 1,47%, do italiano Banca Carige cederam 1,18%, do Santander perderam 1,28% e do francês Société Générale caíram 1,32%.

Destacaram-se ainda as perdas no setor de energia, derivadas da queda forte do barril do petróleo. As petroleiras britânicas BP e Royal Dutch Shell se destacaram entre as principais baixas, com quedas respectivas de 1,51% e 1,21%. A Bolsa de Londres fechou em queda aos 7.334,98 pontos (-1,46%).

As demais petroleiras do continente também cederam: a italiana Enel recuou 1,23%, a espanhola Repsol perdeu 1,46%, a francesa Total caiu 1,68% e a portuguesa Galp mergulhou 2,23%.

Na Bolsa de Lisboa, as ações da Pharol mergulhou 10,07%, em reação ao cancelamento da Assembleia Geral Extraordinária da Oi. O índice PSI-20 recuou para 5.405,31 pontos (-2,02%).

A Bolsa de Paris fechou em 5.285,83 pontos (-1,48%), a de Frankfurt recuou para 12.687,49 pontos (-0,76%), a de Madri cedeu para 10.064,50 pontos (-1,44%) e a de Milão terminou em 22.821,63 pontos (-1,64%).

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!