Anbima confirma Itaú BBA e Bradesco BBI na liderança do ranking – Jornal do Comércio

A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) confirmou que o Itaú BBA liderou os rankings de originação e distribuição – emissões e colocação de papéis no mercado – de renda fixa e variável em 2017.

No caso de renda fixa, os volumes totais de originação e de distribuição do Itaú BBA foram de R$ 35 bilhões e de R$ 24,9 bilhões, com crescimento de 123% e 210%, respectivamente, na comparação com 2016. Na renda variável, o Itaú BBA registrou volume de R$ 6,6 bilhões, alta de 319% ante 2016.

Em segundo lugar ficou o Bradesco BBI, com o volume de originação de R$ 31,7 bilhões e de distribuição de R$ 18,7 bilhões em renda fixa, registrando altas de 46% e 85% em relação ao último ano. Na renda variável o banco também ocupou a segunda aposição, com R$ 5 bilhões (+317%).

O Santander ocupa a terceira posição na renda fixa, com R$ 16,9 bilhões de originação e R$ 11,6 de distribuição a mercado. O banco cresceu 88% e 265%, respectivamente. No caso da renda variável, o JPMorgan, que não participou do ranking em 2016, ficou em terceiro lugar em 2017, com R$ 4,4 bilhões.

Entre os dez maiores coordenadores de renda fixa, a XP foi a que mais cresceu, na comparação a 2016: passou de R$ 1,9 bilhão para R$ 7 bilhões, um aumento de 268%. Além disso, também foi o coordenador que mais subiu posições no ranking, saindo do décimo lugar para o quinto. Com relação aos dez maiores distribuidores, o ABC Brasil foi o destaque, com alta de 1.918%: a distribuição foi de R$ 90,4 milhões, em 2016, para R$ 1,8 bilhão, em 2017. Esse movimento fez com que a empresa subisse nove posições no ranking, passando do 19º para o décimo lugar.

Somadas todas as instituições, o volume total de operações em renda variável teve aumento de 283%, de R$ 9,6 bilhões para R$ 36,8 bilhões.

Já nas ofertas para o segmento do varejo, a XP Investimentos manteve a liderança de 2016, com volume de R$ 1,1 bilhão, um aumento de 270%. O BB Banco de Investimento, que ocupou a 23ª posição no ano anterior, subiu para o segundo lugar em 2017, com alta de 96.122% e volume de R$ 210,3 milhões. A corretora do Itaú ocupa a terceira posição, com 1.805% de crescimento e volume de R$ 169,4 milhões. O volume total das operações nesse segmento foi de R$ 2,0 bilhões, aumento de 400% em relação a 2016.

No ranking de Mercado Externo da Anbima, o Itaú BBA conquistou a liderança pela primeira vez nos últimos dez anos, com volume de US$ 20,6 bilhões, marcando um aumento de 677% em relação a 2016, quando ocupava a oitava posição com US$ 2,7 bilhões.

O Citigroup, que estava em nono lugar, subiu 637% e agora é o segundo colocado, com US$ 15,9 bilhões. A empresa é seguida pelo Bradesco BBI, com US$ 15,5 bilhões – o banco veio do quinto lugar, com crescimento de 133% na comparação com o ano retrasado. Outro destaque foi a entrada do Credit Agricole entre os dez maiores coordenadores, já que a instituição não participou do ranking em 2016.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!