Queda abre chance de compra e Ibovespa encosta em 84 mil pontos – Valor

SÃO PAULO  –  O exterior foi, mais uma vez, o responsável por ditar o rumo do mercado local de bolsa. Mas, dessa vez, depois do tombo de ontem, investidores notaram oportunidades de compra e voltaram a se posicionar nos ativos brasileiros, o que levou as ações mais líquidas e o próprio Ibovespa a registrarem intenso giro no dia.

No fechamento, o Ibovespa subiu 2,48%, aos 83.894 pontos, depois de avançar aos 84.162 pontos na máxima do dia, bem perto do fechamento. O movimento acompanhou as bolsas americanas, que acentuaram ganhos no mesmo momento. O índice também movimentou mais de um milhão de negócios e subiu mais de três mil pontos entre a mínima do dia, nos 80 mil pontos, e o ponto máximo do dia.

Pouco após o fechamento do Ibovespa, as Bolsas de NY operam nas máximas intradia: Dow Jones +2,14%, S&P 500 +1,74% e Nasdaq +2,11%.

O ajuste global de ontem, estimulado por Wall Street, levou os preços a um nível que chamou a atenção daqueles que esperavam uma chance para entrar na renda variável. Esse estímulo às compras levou o giro do Ibovespa aos R$ 14,5 bilhões, o maior desde de 18 maio de 2017, quando a delação dos donos da JBS levou o giro a R$ 20 bilhões. O giro foi maior, inclusive, do que os R$ 13,5 bilhões registrados em 26 de janeiro, quando o Ibovespa deu sequência ao rali após a condenação do ex-presidente Lula no TRF-4 e renovou máximas.

O intenso reposicionamento dos investidores hoje, especialmente do estrangeiro, pôde ser visto nas ações de maior liquidez e que são, justamente por isso, as preferidas nesse momento. O maior giro do dia foi do Itaú Unibanco PN (+3,60%, a R$ 51,83), de R$ 3 bilhões, mais que o dobro dos R$ 1,15 bilhão negociados no pregão anterior.

O Bradesco PN (+2,38%, a R$ 38,70) teve giro de R$ 1,22 bilhão, ante R$ 486,7 milhões negociados ontem, enquanto Petrobras PN (+4,99%, a R$ 19,99) movimentou R$ 1,43 bilhão, ante R$ 1,1 bilhão do pregão passado. A Vale ON, também entre os destaques, subiu 5,25%, a R$ 42,47, e girou R$ 1,08 bilhão, contra R$ 697,2 milhões anteriormente.

Segundo um analista, no caso específico do Itaú Unibanco, dois fatores adicionais além da oportunidade de compra explicam o interesse pela ação PN. O primeiro são as estimativas para este ano, ou “guidance”, divulgadas pelo banco ontem e que agradaram o mercado.

Além disso, o pagamento de 70,6% do lucro anual em dividendos aos acionistas, ou R$ 17,6 bilhões, dá à ação preferencial grande impulso — as PNs garantem preferência no recebimento de proventos pelos acionistas.

No noticiário corporativo, a TIM (+6,98%, a R$ 13,94) também reagiu à divulgação do balanço e liderou as altas do Ibovespa hoje, depois de registrar um crescimento de 66% no lucro líquido no quarto trimestre ante igual intervalo no ano passado. O UBS destacou, em relatório, que o desempenho superou em 40% a expectativa do banco.

A recuperação, no entanto, foi generalizada e atingiu os ativos que mais sofreram ontem, caso das siderúrgicas, como Gerdau (+6,04%, a R$ 14,57) e das ações da Eletrobras.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!