Após correção, bolsas do Brasil e dos EUA sobem – Jornal do Comércio

Depois de uma queda generalizada que ligou o sinal de alerta dos investidores, os mercados esboçaram recuperação ontem. Os indicadores norte-americanos voltaram a acumular ganhos no ano, e a bolsa brasileira subiu com força, impulsionada por Vale, Petrobras e bancos.

O Ibovespa, índice das ações mais negociadas, avançou 2,48%, para 83.894 pontos. O volume negociado foi de R$ 16,982 bilhões, enquanto o volume médio diário do ano está em R$ 8,9 bilhões.

O dólar à vista foi cotado a R$ 3,2428, com recuo de 0,23%. O volume de negócios somou US$ 1,423 bilhão, segundo dados da B3. Já no mercado futuro, o dólar para liquidação em março fechou cotado a R$ 3,2435, em baixa de 0,86%. Os negócios do futuro foram robustos e somaram US$ 29 bilhões, ante US$ 20 bilhões na véspera.

Nos Estados Unidos, o índice Dow Jones voltou a ficar no azul no ano, após zerar os ganhos na última segunda. Nesta sessão, a alta foi de 2,33%, para 24.912 pontos. Em um dia, o indicador ganhou 567 pontos, melhor desempenho desde novembro de 2016. Em 2018, a alta está em 0,8%.

O S&P 500 subiu 1,74%, para 2.695 pontos. No ano, sobe 0,8%. E o índice da bolsa Nasdaq se valorizou 2,13%, para 7.115 pontos – em 2018, o avanço é de 3,08%.

O início da sessão ainda foi de preocupação, após o Dow Jones abrir com mais de 500 pontos de queda ante a sessão anterior – na qual já havia batido o recorde negativo de maior perda de pontos da história.

Ao longo do dia, o temor foi se dissipando, e o mercado se firmou em terreno positivo. A tendência, porém, ainda é de alta no longo prazo, motivada pela recuperação das economias globais e por um cenário de excesso de liquidez no exterior em meio a taxas de juros muito baixas nos países desenvolvidos.

Aqui no Brasil, a queda da taxa básica de juros é um dos principais fatores que devem levar os investidores a continuar olhando para a renda variável em busca de retorno. Hoje, o Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) deve reduzir em 0,25 ponto percentual a taxa básica Selic, para 6,75%, na avaliação de economistas.

Das 64 ações que compõem o Ibovespa, 16 caíram, 46 subiram e duas se mantiveram estáveis. A Tim protagonizou a maior alta do índice, ao subir 6,98%. A Gerdau se valorizou 6,04%. As ações ordinárias e preferenciais da Eletrobras subiram, respectivamente, 5,56% e 5,49%. Já Multiplan (-2,29%), Iguatemi (-1,83%) e Fibria (-1,52%) representaram as maiores baixas.

A valorização do Ibovespa foi ajudada pelas ações de bancos. O Itaú Unibanco, que divulgou resultado na noite de segunda, subiu 3,60%. As ações preferenciais do Bradesco subiram 2,38%, e as ordinárias avançaram 2,91%. O Banco do Brasil ganhou 4,39%. As units – conjunto de ações – do Santander Brasil tiveram alta de 3,64%.

 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!