Bolsas europeias buscam recuperação, mas queda de futuros de Nova Iorque limita fôlego – Jornal do Comércio

As bolsas europeias abriram em alta significativa nesta quarta-feira, acompanhando a dramática recuperação de Wall Street ontem, mas logo perderam fôlego à medida que os futuros dos mercados acionários americanos exibiam perdas significativas, sugerindo um pregão negativo nos negócios à vista de Nova Iorque.

Ontem, as bolsas em Wall Street tiveram um dia de fortes ganhos, apagando parte do tombo histórico que sofreram na segunda-feira. Apenas o índice Dow Jones saltou 567 pontos (2,33%) na terça, depois de despencar mais de 1.100 pontos na véspera.

Os futuros de Nova Iorque, porém, mostraram viés negativo durante a madrugada e assim se mantêm nesta manhã, com as perdas chegando a superar 1%.

Diante das incertezas nos mercados financeiros dos EUA, os ganhos na Europa perderam força em relação aos primeiros minutos de negócios.

Alemanha e Reino Unido também continuam no foco dos investidores.

Na maior economia europeia, a produção industrial decepcionou em dezembro, ao cair 0,6% ante o mês anterior. Analistas consultados pelo The Wall Street Journal previam recuo um pouco menor da indústria alemã, de 0,5%. No campo político, o grupo conservador da chanceler Angela Merkel fechou hoje um acordo para formar um governo de coalizão com o Partido Social-Democrata (SPD, na sigla em alemão). Merkel vinha tentando garantir uma nova coalizão desde setembro do ano passado, quando sua aliança ganhou a eleição geral, mas não garantiu maioria absoluta no Parlamento.

Já em Bruxelas, continuam negociações entre o Reino Unido e a União Europeia sobre o “Brexit”, como é conhecido o processo para que o país saia do bloco até março de 2019.

A temporada de balanços europeus também continua influenciando os preços das ações. A petrolífera norueguesa Statoil divulgou lucro maior do que esperado no quarto trimestre e seu papel saltava mais de 3% na Bolsa de Oslo. A ação da Rio Tinto, por sua vez, tinha queda moderada de 0,5% no mercado inglês, após a mineradora anglo-australiana anunciar lucro subjacente anual que veio praticamente em linha com as expectativas.

Às 8h06min (de Brasília), a Bolsa de Londres subia 0,56%, enquanto a de Paris avançava 0,65% e a de Frankfurt tinha alta de 0,66%. Entre mercados europeus considerados periféricos, Madri e Milão exibiam ganhos de 0,55% e 0,87%, respectivamente, enquanto Lisboa mostrava valorização mais expressiva, de 1,65%. No câmbio, o euro se enfraquecia a US$ 1,2351, e a libra seguia a mesma direção, cotada a US$ 1,3918.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!