Dólar avança ante rivais com acordo no Senado dos EUA para impedir paralisação – Jornal do Comércio

O dólar apresentou avanço em relação a outras moedas principais nesta quarta-feira (7) com os investidores avaliando positivamente o acordo atingido pelos líderes republicanos e democratas no Senado dos Estados Unidos em torno do orçamento do governo federal.

No fim da tarde em Nova York, o dólar subia para 109,63 ienes, enquanto o euro recuava para US$ 1,2264 e a libra cedia para US$ 1,3878. Já o índice DXY, que mede a moeda americana contra uma cesta de outras seis divisas fortes, fechou em alta de 0,75%, aos 90,255 pontos, no maior nível em duas semanas.

Com a aproximação do limite do prazo para que o Congresso americano aprove um projeto de orçamento que impeça a paralisação do governo de Donald Trump, o líder republicano no Senado, Mitch McConnell, e o líder democrata, Chuck Schumer, anunciaram um acordo que prolonga o financiamento à administração em dois anos. A divulgação do plano dos senadores apaga o projeto de lei aprovado na noite de terça-feira na Câmara dos Representantes, que previa uma extensão de seis semanas do financiamento.

A moeda americana também foi influenciada pela política monetária nos EUA e na zona do euro. O presidente da distrital de Chicago do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Charles Evans, afirmou nesta quarta-feira que, se os dirigentes tiverem mais confiança de que a inflação irá avançar, “mais elevações de juros seriam necessárias”. Além disso, ele comentou ser a favor de uma ampliação no ritmo de aperto caso a inflação suba mais rápido que o esperado.

Já o presidente do banco central da Áustria, Ewald Nowotny, que integra o conselho diretivo do Banco Central Europeu (BCE), afirmou que as políticas de Trump “definitivamente” representam um fator perigoso ou incerto pra o mundo financeiro e econômico internacional. Para ele, o Departamento do Tesouro dos EUA “quer empurrar deliberadamente o dólar para baixo e mantê-lo pressionado”, o que revela ser um “fator impressionante” na política cambial americana.

Na Chicago Mercantile Exchange (CME), o contrato de bitcoin para fevereiro fechou em alta de 9,20%, cotado a US$ 8.245,00, ainda em recuperação após o tombo registrado na segunda-feira. De acordo com Nowotny, a moeda virtual “não representa perigo” para a estabilidade do mercado financeiro, mas precisa de regulamentação.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!