Dólar segue influência externa e sobe 0,98%, para R$ 3,27 – Jornal do Comércio

O fortalecimento do dólar no mercado internacional manteve a moeda americana em alta ante o real durante a maior parte desta quarta-feira, 7. A divisa terminou a sessão de negócios cotada a R$ 3,2747 no mercado à vista, em alta de 0,98%, em sintonia com a valorização observada ante moedas fortes e emergentes. Pela manhã, a cotação chegou a cair pontualmente, atingindo a mínima de R$ 3,2383 (-0,14%). Na máxima, à tarde, bateu os R$ 3,2841 (+1,27%).

No período vespertino, o principal destaque foi o acordo bipartidário nos Estados Unidos em torno do orçamento do país, que evita a paralisação da administração Donald Trump. Houve ainda fatores secundários que contribuíram para impulsionar a alta do dólar, como a queda expressiva dos preços do petróleo e a forte desvalorização do euro, que teve forte influência no desempenho do Dollar Index (DXY), que mede o desempenho do dólar ante uma cesta de moedas fortes.

Pouco depois das 16h (horário de Brasília), os líderes no Senado dos partidos Republicano, Mitch McConnell, e Democrata, Chuck Schumer, anunciaram um acordo orçamentário de dois anos, de cerca de US$ 400 bilhões, que vai destinar recursos para o Pentágono e programas sociais do governo. A notícia teve efeito direto sobre a moeda norte-americana e sobre os juros dos Treasuries, apesar de o entendimento ainda necessitar ser votado pelos legisladores, em meio ao desconforto pela ausência de uma definição sobre a política de imigração. Com isso, o dólar acelerou o ritmo de alta com o qual já vinha operando ante o real.

“A valorização do dólar diante do acordo é algo natural e esperado, apesar de a questão da imigração não ter sido votada. Mas é um evento que não altera a tendência do dólar lá fora, que ainda é de volatilidade forte”, disse José Faria Júnior, diretor da Wagner Investimentos. Para ele, os mercados ainda tendem à instabilidade devido às perdas da última segunda-feira, que ainda estão em “processo de cicatrização”.

Pela manhã, o dólar chegou a cair pontualmente, influenciado pelo fluxo cambial positivo e pelo leilão de contratos de swap cambial do Banco Central, que contribuiu para absorver a demanda. O BC vendeu o lote integral de 9.500 contratos, com valor total de US$ 475 milhões, em leilão de rolagem integral dos contratos que vencem em 1º de março. A consolidação do viés positivo veio à tarde e ganhou força com a queda do petróleo e o acordo no Congresso dos EUA.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!