Fiesp diz que é preciso atacar taxa de juros ao tomador final, e não só Selic |

São Paulo - Paulo Skaf, presidente da Fiesp, e empresários durante encontro com o ministro das Relações Exteriores, José Serra sobre comércio exterior. O encontro foi feito na sede da Fiesp (Rovena Rosa/Agência Brasil)

O  presidente da Fiesp,  Paulo Skaf, assina a nota em que entidade pede juros mais baixos também para o tomador final  Rovena Rosa/Arquivo/Agência Brasil

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) cobrou hoje (7) do Banco Central medidas para redução dos juros ao tomador final, e não apenas da taxa básica de juros da economia (Selic).

Em nota divulgada após o anúncio da queda da Selic para 6,75%, a Fiesp afirma que taxa Selic no menor valor já registrado “adianta muito pouco, porque os juros para o tomador final no Brasil ainda estão entre os maiores do mundo”.

“As altas taxas para o tomador final retiram poder de compra das famílias, inibem o investimento e a geração de emprego por parte das empresas e dificultam a retomada do crescimento. O Banco Central precisa deixar de só fazer ameaças ao sistema bancário. Tem que tomar ações incisivas para reduzir a taxa de juros ao tomador final”, diz a Fiesp em nota assinada por seu presidente, Paulo Skaf.

Pela 11ª vez seguida, o Banco Central (BC) baixou os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu hoje a taxa Selic em 0,25 ponto percentual, de 7% ao ano para 6,75% ao ano. Com a redução de hoje, a Selic continua no menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986.

Edição: Nádia Franco

Fonte Oficial: EBC.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!