Juros futuros oscilam perto dos ajustes, com viés de baixa, à espera do Copom – Jornal do Comércio

Os juros futuros oscilam próximos dos ajustes anteriores, com viés de baixa, em meio a expectativas dos investidores pela decisão e o comunicado da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que serão divulgados após o fechamento dos mercados nesta quarta-feira (7). O volume de negócios é pequeno ainda. A desaceleração da alta do dólar ante o real é monitorada pelos operadores de renda fixa.

Às 9h53min, o contrato de DI para janeiro de 2020 estava a 8,04%, na mínima, ante 8,07% do ajuste anterior. O DI para janeiro de 2021 caía a 8,86%, ante 8,91% do ajuste de terça. No câmbio, o dólar à vista reduzia a ganho na sessão, aos R$ 3,2458 (+0,09%), após tocar em máxima aos R$ 3,2543 (+0,35%). O dólar futuro de março ganhava 0,28%, aos R$ 3,2525, ante máxima em R$ 3,2625 (+0,59%).

As apostas majoritárias do mercado apontam para corte de 0,25 ponto porcentual da Selic, para 6,75%. Os investidores buscam uma sinalização sobre se a reunião desta quarta marcará o fim de um ciclo de dez cortes de juros, iniciado em outubro de 2016, já com o BC sob o comando de Ilan Goldfajn. Há expectativa também sobre como o Banco Central irá se referir ao momento de instabilidade nos mercados internacionais, que até a última reunião, em dezembro, mostravam comportamento favorável.

As negociações em torno da reforma da Previdência seguem também no radar. Por isso, os agentes devem acompanhar a entrevista coletiva do líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), e do relator da Reforma da Previdência, deputado Arthur Maia (PPS-BA), às 10 horas, para apresentar um novo texto sobre a reforma da Previdência. Também estarão atentos a eventuais desdobramentos do café da manhã do presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, em Brasília (9 horas).

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse na terça que a votação está mantida para o próximo dia 20.

Mais cedo, foi revelado que o Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1) subiu 0,50% em janeiro, após a queda de 0,03% registrada em dezembro.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!