Petróleo fecha em queda forte, com aumento de produção nos EUA e alta do dólar – Jornal do Comércio

Os contratos futuros de petróleo encerraram o pregão desta quarta-feira (7) em forte queda, pressionado pelo aumento da produção do óleo nos Estados Unidos, pela valorização do dólar e pela retomada das atividades do oleoduto de Forties, o mais importante do Norte da Europa.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril do WTI para março fechou em queda de US$ 1,60 (-2,52%), a US$ 61,79. Na Intercontinental Exchange (ICE), o Brent para abril cedeu US$ 1,35 (-2,02%), para US$ 66,86.

O petróleo começou a sessão em alta, mas mudou de tendência no horário do almoço, após a divulgação dos dados do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês). Segundo o órgão, os estoques americanos subiram 1,895 milhão de barris na semana passada, para 420,254 milhões, e a produção média ultrapassou o nível de 10 milhões de barris por dia.

O dado azedou o sentimento dos investidores em relação à commodity. Ainda que houvesse sinais de que a exploração americana estaria subindo, a aposta era de que o bombeamento dos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) seria mantido nos níveis atuais.

Mas há dez dias, o Iraque afirmou que iria ampliar a capacidade de exportação este ano. De lá pra cá, a tendência predominante foi de queda do barril.

Ao mesmo tempo em que aumenta o temor de aumento de produção nos EUA, o dólar se fortaleceu de maneira generalizada, diante da aposta de que os juros no país voltem a subir. Quando a moeda americana sobe, os contratos lastreados nela, como o de petróleo, se tornam menos atrativos para investidores de fora dos Estados Unidos.

Além disso, a notícia do fechamento temporário do oleoduto de Forties, no Reino Unido, deu fôlego aos contratos de petróleo. Horas depois, porém, a rota operada pela INEOS foi reaberta.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!