Juros longos têm viés de alta com dólar, mas curta e média caem após varejo – Jornal do Comércio

Os juros futuros de curto e médio prazos seguem fracos, enquanto a taxa mais longa mostra viés de alta embalada pelo fortalecimento do dólar ante o real e no exterior na manhã desta sexta-feira (9). 

A queda das taxas curtas e de médio prazo reflete o desempenho ainda o fraco desempenho das vendas do varejo no País, que caíram 1,50% em dezembro ante novembro no restrito, pior que a mediana das estimativas (-0,50%), e recuaram 0,8% no conceito ampliado, melhor que a mediana projetada (-1,05%).

No mercado de moedas internacional, o dólar ganhou força ante divisas principais e reduziu perdas frente algumas moedas ligadas a commodities. O ajuste ocorre após a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos ter aprovado no período da manhã o acordo orçamentário e projeto de gastos, revertendo a paralisação parcial do governo dos EUA que havia começado à meia-noite – na segunda paralisação parcial em três semanas. 

Às 10h06min, o DI para 2019 exibia 6,710%, de 6,740% no ajuste de quinta-feira. O DI para 2020 estava em 7,95%, de 7,97%, enquanto o vencimento para 2021 marcava 8,84%, de 8,85% no ajuste anterior. O DI para 2023 estava em 9,61%, de 9,59% do ajuste de quinta. O dólar à vista subia 0,25%, aos R$ 3,2877 e o dólar para março ganhava 0,02%, aos R$ 3,2945.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!