Petróleo opera em baixa, diante da cautela ante aumento na produção dos EUA – Jornal do Comércio

O petróleo opera com sinal negativo nesta sexta-feira (9), com investidores ainda concentrados no avanço da produção dos Estados Unidos. Além disso, influi para o mau humor a fraqueza dos mercados acionários nos últimos dias.

Às 10h05min (de Brasília), o petróleo WTI para março caía 1,10%, a US$ 60,48 o barril, na Nova Iorque Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para abril tinha queda de 0,73%, a US$ 64,34 o barril, na ICE. O Brent recua quase 6% ao longo desta semana.

Na avaliação de Eugen Weinberg, diretor de pesquisa em commodities do Commerzbank, o petróleo opera em baixa por causa da realização de lucros, impulsionada pelo fato de o Brent ter superado US$ 70 o barril ao longo do último mês. “O momento para isso provavelmente tem a ver com a especulação e com um mercado excessivamente aquecido”, diz Weinberg, que prevê a manutenção da tendência de baixa.

Até recentemente, os preços do petróleo eram impulsionados pelos cortes na produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e por outros grandes nomes do setor, como a Rússia. Agora, os fundamentos do mercado têm mudado, já que as altas nos preços levaram a uma maior produção, segundo alguns analistas. A alta na produção dos EUA, sobretudo, tem pressionado os contratos.

A fraqueza do petróleo também ocorre em meio a uma onda de vendas nos mercados acionários, com investidores temerosos sobre o potencial de inflação mais alta e aperto monetário em alguns bancos centrais importantes.

Mais tarde nesta sexta-feira (9), às 16h, a Baker Hughes divulga relatório semanal de poços e plataformas de petróleo em atividade nos EUA. O número é um indicativo da atividade no setor. 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!