Produção agrícola deve cair 7,8% no Rio Grande do Sul – Jornal do Comércio

A atualização do levantamento da safra realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) trouxe uma queda maior na produção de grãos do Rio Grande do Sul. Antes prevista em 7,1%, a redução na colheita gaúcha deve chegar a 7,8% em relação à safra passada, que atingiu o recorde de 35,516 milhões de toneladas. Na temporada atual, a produção deve totalizar 32,744 milhões de toneladas. A redução se dará pela queda de 8% na produtividade no Estado, já que o levantamento de área plantada da Conab indica um aumento de 0,2% em relação à safra 2016/2017.

A principal atualização foi realizada nas estimativas para o milho. A Conab reviu para baixo a produtividade do grão, chegando a 6,5 mil quilos por hectare, redução de 9,7% em relação ao levantamento de janeiro, e de 13,2% em relação à safra passada. A estatal cita como justificativa a deficiência hídrica em dezembro e janeiro, que trouxe perdas de até 40% nas regiões centrais do Estado. Aliado a uma redução de 9,5% na área plantada, a produção do grão deve apresentar uma queda de 21,5% na comparação com a última temporada, totalizando 4,7 milhões de toneladas.

Já na soja, o novo estudo reviu para cima a produção gaúcha. A Conab projeta agora uma queda de 6,3% na colheita do grão (antes estimada em 6,7%), que deve contabilizar 17,5 milhões de toneladas. A melhoria no dado se dá por conta de um aumento na estimativa de área, de 5,7 milhões de hectares, o que indica um aumento de 2,2% em relação à safra passada. A colheita será menor, entretanto, pela esperada redução de 8,3% na produtividade, para 3,082 mil quilos por hectare. O levantamento ainda manteve as estimativas para o arroz, que, com queda de 3,6% na produtividade somada à redução de 2,1% na área plantada, deve diminuir a colheita em 5,6%, para 8,2 milhões de toneladas.

O boletim de fevereiro da Conab ainda trouxe como novidade o primeiro levantamento quanto às culturas de inverno para 2018. Embora mantenha as mesmas áreas de 2017 para todas as variedades, a estatal faz previsões otimistas quanto à produtividade. No trigo, a alta é estimada em 2,9%, para 1,879 mil quilos por hectare, enquanto na cevada ( 13%), na aveia ( 23,7%) e na canola ( 57,3%) os ganhos em 2018 devem ser ainda maiores na comparação com a colheita do ano passado.

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) informou, nesta quinta-feira, que a safra de grãos 2017/2018 no Brasil deverá alcançar 225,6 milhões de toneladas, sendo a segunda maior da série histórica, que é liderada pela safra anterior. Na comparação com o volume produzido em 2016/2017, de 237,7 milhões de toneladas, espera-se um recuo de 5,1%, embora a área total de plantio prevista seja 0,2% maior, de 61,01 milhões de hectares.

O levantamento que analisou os principais centros produtores de grãos, de 21 a 27 de janeiro, identificou que sofrerão queda culturas como soja, milho e arroz, que passam de 12,327 milhões de toneladas para 11,639 milhões, com uma colheita 5,6% inferior à de 2016/2017. A produção de arroz, estimada em 11,6 milhões de toneladas, não sofreu alterações significativas, visto que as condições climáticas permanecem favoráveis à cultura, segundo o levantamento.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!