Bndes e BNB devem financiar obras em terminais da Fraport – Jornal do Comércio

A Fraport, operadora do Aeroporto de Frankfurt, buscará empréstimos com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes) e o Banco do Nordeste (BNB) para financiar as obras nos terminais aéreos de Porto Alegre (RS) e Fortaleza (CE).

Esses terminais foram concedidos à iniciativa privada em março do ano passado, em leilões que incluíram também os Aeroportos de Florianópolis (SC) e Salvador (BA). A francesa Vinci e a suíça Zurich, que levaram as duas últimas concessões, respectivamente, ainda estão estudando seus formatos de financiamento.

Segundo a presidente das concessionárias Fraport Brasil-Porto Alegre e Fraport Brasil-Fortaleza, Andreea Pal, a ideia é firmar empréstimo com o BNB, para as obras em Fortaleza, até o fim de junho. Já no caso do projeto em Porto Alegre, a aprovação do crédito com o Bndes deve ficar para setembro ou outubro. “Temos nossos planos, mas nosso plano não é necessariamente o plano deles.”

Os bancos públicos confirmaram que estão trabalhando com esses prazos. Segundo a Área de Saneamento e Transporte do BNDES, a expectativa é começar os desembolsos para o Aeroporto de Porto Alegre em setembro. Já o BNB informou que o pedido para o financiamento às obras no Aeroporto de Fortaleza foi feito este mês, e a expectativa é aprovar e contratar o crédito ainda no primeiro semestre.

A executiva da companhia alemã evitou estimar valores para os empréstimos, pois isso dependerá das negociações com os bancos. Conforme as regras das concessões, a Fraport assumiu o compromisso de investir R$ 1,5 bilhão no terminal gaúcho e R$ 800 milhões no aeroporto cearense. No caso das condições de crédito do Bndes, há um teto máximo de 40% de participação do financiamento em relação ao total investido.

De acordo com Andreea, a opção por montar a estrutura financeira dos projetos no mercado brasileiro se deve ao fato de as receitas dos dois aeroportos serem em reais. A executiva destacou ainda que, por contrato, as concessões exigem elevado nível de investimento custeado com capital próprio.

“As receitas que temos no Brasil são em reais. Então, é óbvio que, diante das circunstâncias, o projeto seja financiado também em reais”, afirmou a presidente executiva da Fraport Brasil, destacando que os empréstimos com o BNB e o BNDES foram as melhores opções de financiamento.

Debêntures

O Bndes informou ainda que a análise do pedido de empréstimo da Zurich para as obras do Aeroporto de Florianópolis está “bem avançada”. A expectativa é que a aprovação e os primeiros desembolsos possam começar em setembro ou outubro. A concessionária Floripa Airport informou, via assessoria de imprensa, que “está no processo final de avaliação das opções de financiamento”. Além do empréstimo do Bndes a empresa estuda emissão de debêntures de infraestrutura, títulos de renda fixa.

Já a Vinci Airports, dona da concessionária do Aeroporto de Salvador, informou que as obras serão financiadas por uma combinação de capital próprio, dívida e fluxos de caixa operacionais. “A concessionária está considerando várias fontes de financiamento tanto do Bndes, BNB ou debêntures de infraestrutura”, diz a concessionária, em nota. A ideia é configurar a estrutura de financiamento “nos próximos meses”.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!