Bolsas europeias sobem com recuperação de NY e após indicadores e balanços – Jornal do Comércio

As bolsas europeias operam majoritariamente em alta na manhã desta quarta-feira (14), seguindo a recuperação recente dos mercados acionários de Nova Iorque, que ontem (13) acumularam ganhos pelo terceiro pregão consecutivo após sofrerem tombos históricos na semana passada, e em meio à divulgação de indicadores econômicos positivos da região e de balanços corporativos.

Dados da Eurostat, a agência de estatísticas da União Europeia, confirmaram hoje que o Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro cresceu 0,6% no quarto trimestre de 2017 ante os três meses anteriores. Saíram ainda números da Alemanha, onde o PIB também avançou 0,6% na mesma comparação, da Itália (+0,3%) e de Portugal (+0,7%).

Além disso, a produção industrial da zona do euro surpreendeu em dezembro, ao subir 0,4% ante o mês anterior. A projeção do mercado era de estabilidade.

Entre os balanços do dia, destacaram-se os resultados dos bancos Credit Suisse e Crédit Agricole e do conglomerado industrial alemão ThyssenKrupp.

O Credit Suisse teve prejuízo líquido de 2,13 bilhões de francos suíços (US$ 2,28 bilhões) no quarto trimestre, em função de despesas relacionadas à reforma tributária dos EUA, aprovada em dezembro último. Analistas, porém, esperam perda maior e a ação do banco subia quase 3% em Zurique.

Já o Crédit Agricole, segundo maior bancos francês em ativos, teve lucro líquido de 387 milhões de euros (US$ 477,2 milhões) entre outubro e dezembro, 33% maior que o de um ano antes, mas abaixo das expectativas do mercado. Em Paris, seu papel caía pouco menos de 3%.

A Thyssenkrupp ampliou o lucro do trimestre até dezembro, a 78 milhões de euros (US$ 95,7 milhões), de 8 milhões de euros um ano antes, mas o montante também ficou aquém do esperado. Na bolsa alemã, a ação do grupo caía mais de 1%.

Às 9h (de Brasília), a Bolsa de Londres subia 0,50%, a de Paris avançava 0,55% e a de Frankfurt ganhava 0,61%. Entre mercados europeus considerados periféricos, o de Madri tinha alta de 0,52%, e o de Lisboa, de 0,62%, mas o de Milão apresentava baixa marginal de 0,01%. No mesmo horário, o euro se enfraquecia levemente, a US$ 1,2353, e a libra seguia a mesma direção, cotada a US$ 1,3869. 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!