Dólar recua ante rivais após divulgação de dados da inflação nos EUA – Jornal do Comércio

O dólar fechou em queda em relação às suas principais rivais, nesta quarta-feira (14) após dados mostrarem um avanço do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) maior que o esperado nos Estados Unidos em janeiro.

No fim da tarde em Nova Iorque, o dólar recuava a 107,01 ienes, de 107,79 ienes na tarde de terça-feira; o euro subia a US$ 1,2454, de US$ 1,2360; e a libra avançava a US$ 1,4000, de US$ 1,3887.

As expectativas por uma expansão contínua do déficit orçamentário do governo dos EUA, combinadas com o crescimento do déficit comercial do país para US$ 566 bilhões – o pior desde 2008 -; pressionaram o dólar ao passo em que os juros dos Treasuries avançavam, de acordo com analistas. Isso dificulta a permanência de alguns investidores na moeda.

A inflação ao consumidor americano avançou 2,1% nos 12 meses encerrados em janeiro – o mesmo aumento anual verificado em dezembro. O Núcleo do CPI subiu 1,8% no ano. Economistas esperavam um aumento de 1,9% na inflação geral e de 1,7% no núcleo do CPI.

Por causa do aumento de gastos por causa da alta dos preços de energia, alguns analistas disseram que a pressão inflacionária pode diminuir nos próximos meses, dado o recuo dos preços do petróleo em fevereiro.

Enquanto as pressões inflacionárias se intensificam, os investidores dizem que elas não são extremas e parecem mais acentuadas por causa do ambiente de inflação insistentemente baixa que prevaleceu desde a crise financeira dos EUA.

“Eu não acho que estamos repentinamente em um mundo diferente”, disse Ilya Gofshteyn, estrategista do Standard Chartered Bank. Enquanto os dados de inflação podem impulsionar a moeda ao aumentar a percepção de que o Fed vai acelerar seu ritmo de aperto monetário, “o déficit dos EUA está parecendo bem ruim e está pressionando o dólar”, completou.

Na Chicago Mercantile Exchange (CME), o contrato da bitcoin para fevereiro fechou em alta de 6,78%, a US$ 9.290,00. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!