Juros fecham em forte queda, com ajustes e apetite ao risco no exterior – Jornal do Comércio

Os juros futuros terminaram a sessão regular, mais curta nesta Quarta-feira de Cinzas (14) em queda firme ao longo de toda a curva a termo. O sinal de baixa predominou desde a abertura, determinado sobretudo por ajustes ao que aconteceu no exterior durante o feriado de carnaval, período em que os ativos de risco tiveram bom desempenho lá fora. Nos demais ativos, o Ibovespa ampliou os ganhos para mais de 3% e o dólar renovou mínimas, negociado abaixo dos R$ 3,24 no segmento à vista.

As principais taxas encerraram a sessão nas mínimas, com exceção da do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2019, que encerrou em 6,690%, de 6,725% no último ajuste. A taxa do DI para janeiro de 2020 encerrou em 7,89%, de 7,98% no ajuste de sexta-feira, e a do DI para janeiro de 2021 terminou em 8,76%, de 8,90%. A taxa do DI para janeiro de 2023 caiu de 9,68% para 9,54%.

O mercado doméstico vive um verdadeiro rali nesta volta do feriado de carnaval, atribuído a uma correção e ao apetite pelo risco no exterior. Profissionais da área de renda fixa explicam que, na última sexta-feira, os investidores haviam se munido de cautela antes do feriado prolongado, se protegendo contra eventuais adversidades no exterior enquanto o mercado aqui estivesse fechado. Como o saldo foi positivo para as bolsas e o dólar caiu lá fora nos últimos dias, hoje os ativos aqui se ajustaram. Com isso, os juros locais ignoraram a disparada do rendimento da T-Note de dez anos e também não reagiram à taxa de inflação mais forte nos Estados Unidos em janeiro, acima do esperado.

Às 16h32, a taxa da T-Note de dez anos estava na máxima de 2,914% e, nas ações, os índices em Nova York renovaram máximas, liderados pelos setores bancário e de tecnologia. O Dow Jones subia 0,62% e o S&P 500, +1,04%. Aqui o Ibovespa tinha ganho de 3,01%, aos 83.337,34 pontos. O dólar à vista batia sucessivas mínimas, negociado em R$ 3,2310 (-1,95%), após tocar a mínima de R$ 3,2245 (-2,15%). Além dos ajustes pós-feriado, o câmbio local é favorecido por fluxo positivo com migração de recursos para a renda variável, segundo analistas.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!