Petróleo opera em queda, pressionado por aumentos nos estoques – Jornal do Comércio

O petróleo opera em queda nesta quarta-feira (14), pressionado por aumentos nos estoques americanos e sinais de elevação rápida da produção.

Por volta das 9h30min, o barril do tipo Brent para abril, negociado na Intercontinental Exchange (ICE), caía 0,48%, a US$ 62,43, enquanto o WTI para março, negociado na New York Mercantile Exchange (Nymex) recuava 0,79%, a US$ 58,74.

No final da terça-feira, a American Petroleum Institute (API), uma associação de refinarias, revelou um aumento de 3,9 milhões de barris nos estoques de petróleo na semana encerrada em 9 de fevereiro, além de uma alta de 4,6 milhões e barris nos estoques de gasolina. Hoje, o Departamento de Energia (DoE) publica os números oficiais dos estoques americanos.

“As preocupações estão abundantes com a possibilidade de que o aumento dos estoques será a regra durante as próximas semanas, com as refinarias entrando na temporada de manutenção”, afirmou Stephen Brennock, analista na PVM Oil Associates Ltd.

Os estoques voltaram a crescer neste mês após várias semanas de queda. Ao mesmo tempo, os investidores estão ficando cada vez mais preocupados com o impacto do aumento da produção de xisto no mercado americano.

Ainda ontem, a Agência Internacional de Energia (AIE) afirmou que a produção de petróleo de países que não fazem parte da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) provavelmente ultrapassará a demanda global pela commodity, pressionando os preços.

No ano passado, a produção dos EUA passou de 10 milhões de barris por dia, superando a Arábia Saudita e rivalizando com a Rússia, os dois maiores produtores até então.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!