PIB da zona do euro tem maior crescimento em uma década – Exame

Itália tem crescimento mais alto desde 2010 e Alemanha tem o mais forte desde 2011, segundo estimativas divulgadas nesta quarta-feira (14)

access_time 14 fev 2018, 12h23 – Publicado em 14 fev 2018, 12h15

São Paulo – O Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 2,5% em 2017 tanto na zona do euro quanto no conjunto dos 28 países da União Europeia.

As estimativas foram divulgadas nesta quarta-feira (14) pela agência de estatísticas oficial do bloco, a Eurostat.

Foi o crescimento mais forte em uma década, superado apenas pelos 3% registrados em 2007, dentro do que estava sendo estimado por bancos e instituições financeiras.

O crescimento no 4º trimestre de 2017 foi de 0,6% em relação ao trimestre anterior nos dois conjuntos de países.

A expansão anualizada, comparando com o mesmo período de 2016, foi de 2,6% na UE e de 2,7% na zona do euro.

Indústria

A produção industrial na zona do euro teve alta de 0,4% em dezembro sobre novembro e de 5,2% sobre o mesmo período do ano anterior.

A estimativa de economistas consultados pela Reuters era de altas menores: 0,2% no mês e 4,2% no ano. A alta anual foi puxada por bens duráveis e bens de capital.

Os destaques positivos foram Romênia (alta anualizada de 3,8%), Irlanda (3%) e Eslovênia e os negativos foram Eslováquia (-2,7%), Lituânia (-2,6%) e República Tcheca (-1,5%).

Países

A economia da Itália cresceu 1,4% em 2017, de acordo com a primeira estimativa do Instituto Nacional de Estatísticas (Istat).

Foi o melhor resultado desde 2010, quando o país cresceu 1,7%, ainda que tenha ficado abaixo dos 1,5% previstos pelo governo.

Já a economia da Alemanha teve crescimento de 2,2% no ano ou 2,5% com ajuste sazonal, de acordo com estimativas preliminares da Agência Federal de Estatísticas.

O resultado superou os 1.9% de crescimento registrados em 2016 e representa o ritmo de crescimento mais forte desde 2011.

O resultado no último trimestre do ano foi puxado pela demanda estrangeira, com forte alta das exportações.

Também houve alta do gasto do governo, enquanto o consumo das famílias ficou relativamente estável.

O investimento de capital em equipamentos e máquinas subiu um pouco em relação ao trimestre anterior, enquanto o investimento de capital em construção caiu um pouco.

(Com informações de Reuters e AFP)

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!