Bolsas de Nova Iorque sobem mais de 1% com menor temor com inflação nos EUA – Jornal do Comércio

As bolsas de Nova Iorque encerraram o pregão desta quinta-feira (15), em alta firme, o quinto ganho consecutivo, em meio a um cenário de apetite renovado pelo risco. Como pano de fundo macroeconômico, a alta em linha com o consenso do mercado do índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) e a queda inesperada da produção industrial embasam o sentimento de que não há superaquecimento na economia dos Estados Unidos.

O índice Dow Jones subiu 306,88 pontos (+1,23%), para 25.200,37 pontos. O Nasdaq avançou 112,81 pontos (+1,58%), a 7.256,43 pontos. O S&P 500 teve elevação de 32,57 pontos (+1,21%), para 2 731,20 pontos.

Pela quinta sessão consecutiva, os mercados globais vivem um respiro para os investimentos de risco. A retomada do fôlego vem ao mesmo tempo em que sinais de aceleração da inflação americana e de superaquecimento da economia diminuíram, afastando a visão de que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) tenha de fazer um aperto monetário mais intenso do que o projetado.

Nesta quinta-feira, o Departamento do Trabalho informou que o índice de preços do consumidor (CPI, na sigla em inglês) subiu 0,5% na passagem de dezembro para janeiro – acima do esperado. Nesta quinta, o mesmo órgão divulgou que o PPI avançou 0,4% no mesmo período, em linha com o consenso de mercado. Com o índice na porta das fábricas comportado, o temor de um avanço forte da inflação no varejo se dissipou, por ora.

Ao mesmo tempo, os dados da produção industrial dos Estados Unidos corroboraram com a visão de que a economia americana segue crescendo, mas sem euforia. O indicador caiu 0,1% na passagem de dezembro para janeiro, segundo o Fed, contrariando a expectativa de alta de 0,3%. Nesta quinta, as vendas no varejo também decepcionaram o mercado e levaram grandes bancos a reduzir a projeção de crescimento no país no primeiro trimestre de 2018.

Setorialmente, o destaque de ganhos foi do setor de tecnologia. As ações da Apple saltaram 3,36%, as da Microsoft ganharam 2,04% e as da Amazon subiram 0,74%.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!