O sucesso da indústria e o desafio da energia nos EUA – Exame

ÀS SETE – Nesta quinta-feira serão divulgados dados sobre a indústria americana, que podem comprovar evoluções na gestão Trump

Por EXAME Hoje

access_time 15 fev 2018, 07h07 – Publicado em 15 fev 2018, 06h41

Nesta quinta-feira serão divulgados dados sobre a indústria americana, como produção industrial e manufatureira e utilização de capacidade produtiva.

Os índices têm evoluído de maneira consistente durante a gestão do presidente Donald Trump, e os dados referentes a janeiro marcam um ano do republicano no poder.

A expectativa dos analistas é de que a produção industrial, que cresceu 1,8% ao longo de 2017, na primeira alta desde 2014, apresente crescimento de 3,8% este mês, em relação a janeiro do ano passado.

Já a produção das manufaturas deve ficar com alta de 2,4% em janeiro, na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Em janeiro de 2017, a alta em relação a 2016 tinha sido de mero 0,5%.

A aceleração da indústria americana também pode ser vista na utilização da capacidade instalada. Em janeiro deste ano, o índice deve chegar a uma utilização de 78%, e as previsões são de que o crescimento se mantenha ao longo do ano. Em janeiro de 2017, o país estava utilizando 75% da capacidade.

Em dezembro do ano passado, os setores de produção de energia, de mineração e de motores automotivos foram os que garantiram as maiores altas no fim do ano. O governo de Trump tem incentivado o desenvolvimento da indústria doméstica, com redução de regulações e elevadas taxações à importação.

Em janeiro deste ano, porém, a Comissão Federal de Regulação Energética rejeitou o plano de incentivar a indústria do carvão e a nuclear no país.

Trump tem sido bem sucedido no discurso, e os dados têm corroborado sua visão de um país que produz mais para si próprio. O que ainda não está claro é se a equação de produção mais cara e menos impostos vai dar o samba que o presidente tanto anuncia na avenida.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!