Indústria do Japão pede a Trump cuidado sobre tarifas para aço – Exame

Indústria siderúrgica japonesa disse que proposta do Departamento de Comércio dos EUA viola princípios do livre comércio

Por Yuka Obayashi, da Reuters

access_time 19 fev 2018, 17h28

Tóquio – A indústria siderúrgica do Japão afirmou nesta segunda-feira que a proposta do Departamento de Comércio dos Estados Unidos para criação de limites à importação de aço viola os princípios do livre comércio e pediu para o presidente norte-americano, Donald Trump, tomar uma decisão cuidadosa e apropriada.

O Departamento de Comércio dos EUA recomendou na sexta-feira que Trump imponha limites à importação de aço e alumínio da China e de outros países, que variam entre desde medidas globais a tarifas para países específicos e cotas de importações gerais.

“As recomendações violam os princípios do livre comércio, que são a fundação para o desenvolvimento e prosperidade da economia global”, disse o presidente da Federação de Ferro e Aço do Japão, Kosei Shindo, em comunicado.

“Esperamos que Trump tenha um julgamento cuidadoso e apropriado”, disse Shindo, que também preside o maior grupo produtor de aço do Japão, a Nippon Steel & Sumitomo Metal Corp.

Yasuji Komiyama, diretor da divisão industrial do Ministério da Economia, Comércio e Indústria do Japão, afirmou que o “Japão acredita que importações de aço e alumínio do Japão pelos EUA não representam uma ameaça à segurança nacional dos EUA”.

O Japão exporta cerca de 2 milhões de toneladas de produtos siderúrgicos por ano para os EUA, cerca de 5 por cento de suas vendas externas, mas os produtores japoneses estão preoucpados com a política de comércio norte-americana.

“Se os EUA tomarem uma ação (de limitar as importações) isso pode disparar retaliação por outros países. O que é preocupante é ver o mundo caminhar para o protecionismo”, disse Eiji Hayashida, presidente da JFE Holdings, segundo maior grupo siderúrgico do Japão, na semana passada.

 

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!