Bolsas da Europa fecham em geral em alta, mas Londres cai após balanços – Jornal do Comércio

As principais bolsas europeias fecharam em sua maioria em alta nesta terça-feira (20). Após algumas praças oscilarem perto da estabilidade mais cedo, quase todas se firmaram em território positivo, com foco em balanços. Em Londres, porém, o quadro foi mais negativo, por causa de resultados corporativos importantes que frustraram a expectativa.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,60%, em 380,51 pontos. Na agenda de indicadores, o índice de confiança dos consumidores da zona do euro recuou de 1,4 em janeiro a 0,1 na preliminar de fevereiro.

Analistas ouvidos pelo Wall Street Journal esperavam recuo menor, para 1,0. O índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) da Alemanha subiu 0,5% em janeiro ante dezembro, com alta de 2,1% na comparação anual. O índice ZEW de expectativas econômicas, por sua vez, caiu de 20,4 em janeiro a 17,8 em fevereiro, ante previsão de baixa para 16,0 dos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em queda de 0,01%, em 7.246,77 pontos. Entre as ações em foco, HSBC caiu 3,2%, após divulgar que teve lucro líquido de US$ 9,68 bilhões em 2017, bem acima do ganho de US$ 1,3 bilhão do ano anterior, com receita anual de US$ 51,45 bilhões, de US$ 47,97 bilhões em 2016. Os resultados do banco, porém, frustraram a previsão dos economistas.

O papel da BHP Billiton teve baixa de 4,6%, depois que a mineradora teve queda em seu lucro líquido no último semestre, mesmo que ela tenha elevado seu dividendo. A fabricante de softwares para operações financeiras Fidessa, por outro lado, teve ganho de 23% na praça londrina, ao informar que está em negociações avançadas após receber uma oferta de compra do grupo suíço Temenos de 1,41 bilhão de euros.

Em Frankfurt, o índice DAX avançou 0,83%, a 12.487,90 pontos. Os bancos alemães se saíram bem, com Deutsche Bank e Commerzbank em altas de 1,52% e 0,68%, respectivamente. No setor de energia, E.ON subiu 1,40%. O grupo varejista Steinhoff, por outro lado, caiu 3,47%, com reação negativa após a companhia perder uma disputa judicial sobre como reportou seus números financeiros em 2016.

Na Bolsa de Paris, o CAC-40 teve ganho de 0,64%, para 5.289,86 pontos. O índice FTSE-MIB, da Bolsa de Milão, subiu 0,46%, a 22.673,56 pontos. Entre as ações mais negociadas, Telecom Italia subiu 3,01%, mas Intesa Sanpaolo e Enel recuaram 0,60% e 0,17%, respectivamente. Em Madri, o índice IBEX-35 fechou em alta de 0,91%, a 9.895,30 pontos. Santander subiu 1,65%, Iberdrola avançou 0,72% e CaixaBank recuou 0,54%, entre os papéis em destaque. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 avançou 0,24%, a 5.448,81 pontos.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!