Taxas curtas de juros fecham em baixa com otimismo sobre inflação e Selic – Jornal do Comércio

Os juros futuros fecharam com taxas em queda nos vencimentos de curto prazo, perto da estabilidade no trecho intermediário e levemente pressionadas para cima na ponta longa, numa sessão de liquidez abaixo do padrão em meio aos feriados no exterior. Nos Estados Unidos, é comemorado nesta segunda-feira (19) o Dia do Presidente e na China tem início o feriado de ano novo lunar.

A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2019 terminou em 6,590%, de 6,620% no ajuste anterior, e a taxa do DI para janeiro de 2020 caiu de 7,71% para 7,67%. A taxa do DI para janeiro de 2021 fechou em 8,63%, de 8,62%, e a taxa do DI para janeiro de 2023 passou de 9,89% para 9,92%.

Sem a referência dos mercados em Wall Street, o otimismo com o cenário inflacionário continuou como o fator central para os negócios na renda fixa nesta segunda-feira. A queda das medianas das estimativas para o IPCA de 2018 na pesquisa Focus, e a forte desaceleração do IGP-M na segunda prévia de fevereiro, para 0,03%, de 0,82% na segunda prévia de janeiro, contribuíram para um aumento nas apostas para mais um corte de 0,25 ponto porcentual da Selic na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), em março. O IBC-Br de dezembro (1,41%) acima da mediana das estimativas (1,09%) pressionou um pouco as taxas na abertura dos negócios, mas depois foi absorvido.

O noticiário de Brasília não chega a influenciar as operações, mas o mercado monitora a movimentação em torno do decreto de intervenção federal no Rio, cuja votação na Câmara está marcada para esta noite e, a depender dos deputados da oposição, deve enfrentar dificuldades.

O líder da minoria na Câmara, o deputado José Guimarães (PT-CE) defendeu que a oposição obstrua a sessão e o líder o PSOL na Câmara dos Deputados, deputado Ivan Valente (SP), afirmou que a intervenção é uma “nuvem de fumaça” por conta da dificuldade do governo em obter os votos necessários para aprovar a reforma da Previdência.

O PSOL protocolou na tarde desta segunda mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender a votação.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!