Eletropaulo e Eletrobras podem ter acordo sobre dívida no 1° tri – Exame

Fonte diz empresas estão muito próximas de um acordo para encerrar uma disputa de mais de 30 anos sobre uma dívida superior a 2 bilhões de reais

Por Luciano Costa, da Reuters

access_time 21 fev 2018, 15h50

São Paulo – A distribuidora de energia Eletropaulo e a Eletrobras estão muito próximas de um acordo para encerrar uma disputa de mais de 30 anos sobre uma dívida superior a 2 bilhões de reais que a estatal cobra junto à concessionária responsável pelo fornecimento em São Paulo, disse à Reuters uma fonte com conhecimento do assunto.

O acerto, que poderia acontecer entre as empresas ainda no primeiro trimestre, para depois ser homologado na Justiça, pode ainda abrir caminho para que a norte-americana AES venda toda ou parte de sua fatia na Eletropaulo, adicionou a fonte, que falou sob a condição de anonimato porque as tratativas são sigilosas.

A Eletrobras disse na semana passada que seu Conselho de Administração aprovou no início de fevereiro condições gerais não vinculantes para o acordo.

“O que está na mesa é (um pagamento pela Eletropaulo à Eletrobras) da ordem de 700 milhões de reais à vista e o saldo restante em 10 anos, cerca de 75 milhões por ano”, disse a fonte.

O negócio está em uma “reta final de ajustes”, com a Eletropaulo demandando mudanças pontuais para que o pagamento se encaixe melhor em seu fluxo de caixa.

A Eletropaulo fechou o terceiro trimestre de 2017 com mais de 400 milhões de reais em caixa e equivalentes de caixa, segundo o balanço mais recente divulgado pela companhia.

Procurada, a Eletrobras disse que não iria comentar. A Eletropaulo disse que não comenta rumores de mercado.

A Eletropaulo tem como principais acionistas o braço de participações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDESPar) e a AES, com 18,7 por cento e 16,8 por cento, respectivamente.

Emissão e mudanças

Em paralelo às negociações sobre a dívida, a Eletropaulo tem avaliado a realização de uma oferta primária de ações que poderia levantar até 1,5 bilhão de reais para investimentos em seu plano de negócios, disse a fonte.

A distribuidora anunciou nesta semana que pretende investir 4,94 bilhões de reais entre 2018 e 2022.

A oferta deve envolver ainda uma emissão secundária para que a AES e o BNDES vendam total ou parcialmente suas fatias na Eletropaulo, em uma decisão que dependeria também do preço a ser fixado para a transação, disse a fonte.

“É natural que os dois, AES e BNDES, considerem vender, mais intensamente a AES”, afirmou.

O movimento seguiria um posicionamento estratégico global da AES de deixar o setor de distribuição de energia para focar em geração, principalmente com fontes renováveis.

A companhia vendeu sua distribuidora AES Sul para a CPFL Energia em 2016 e passou a concentrar uma atenção maior na controlada AES Tietê, de geração, que tem participado de leilões e realizado aquisições de ativos renováveis no país.

Segundo a fonte, a ideia da Eletropaulo é não associar o acordo sobre a dívida a uma emissão, mas sim chegar a um acerto que possibilite à companhia honrar os compromissos com seu fluxo de caixa, permitido que os recursos da oferta primária apoiem o pesado plano de investimentos da distribuidora.

Procurada, a AES Brasil disse que não vai se manifestar sobre o assunto. O BNDES disse que “não comenta rumores de compra e venda de ações”. A Eletropaulo também não quis comentar.

A Eletrobras avalia ter 2,79 bilhões de reais a receber da Eletropaulo, dos quais 350 milhões já estão reconhecidos em seu ativo. Já a Eletropaulo estima a causa em 2 bilhões de reais, segundo o balanço das elétricas no terceiro trimestre.

Ao valor atual dos papéis da Eletropaulo, de cerca de 16,60 reais por ação ordinária, o BNDESPar poderia obter mais de 520 milhões com a venda de sua fatia na empresa, enquanto a AES poderia levantar quase 470 milhões de reais.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!