Juros futuros de curto prazo voltam a subir antes do IPCA-15 – Valor

SÃO PAULO  –  Os juros futuros de curto prazo voltaram a subir na sessão desta quinta-feira (22). À espera de novos sinais sobre a inflação, os investidores assumiram uma postura um pouco mais cautelosa antes de definir novas apostas para a trajetória da taxa básica de juros, a Selic.

Ao término da sessão regular, as altas mais claras eram observadas em vértices intermediários. O movimento foi apenas modesto, mas interrompe a redução do prêmio de risco observada em sessões anteriores.

A diferença das taxas projetadas pelo DI janeiro de 2020 e o DI janeiro de 2019, que mede o risco de curto prazo, se manteve em 105,5 pontos-base, depois de seis dias de baixa.

Às 16h, o DI para janeiro de 2019 avançava a 6,585% ante 6,550% no ajuste anterior, o DI para janeiro de 2020, por sua vez, era negociado no nível de 7,630%, ante 7,580%.

A cautela em relação à inflação afetou também as projeções para o IPCA embutidas nos contratos de derivativos conhecidos como DAP. Até o começo da semana, esses contratos apontavam inflação implícita de 0,29% para o mês de fevereiro e, agora, projetam taxas de cerca de 0,35%.

Para que o mercado reforce suas apostas para novo corte da Selic será preciso que os indicadores de preços fiquem ainda mais baixos até a próxima reunião do Copom, em março.

“O mercado está esperando ser surpreendido para retomar apostas no corte da Selic”, diz o profissional de uma corretora bastante atuante no segmento.

Nesta sexta-feira (23), o IPCA-15, que mede a inflação do começo do mês, será divulgado, dando oportunidade para calibragem de expectativas. Economistas consultados pelo Valor Data projetam alta de 0,38% para o indicador deste mês, ligeiramente abaixo da taxa registrada em janeiro. Caso se confirme, a inflação acumulada em 12 meses pelo IPCA-15 deve desacelerar de 3,02% para 2,86% na passagem mensal.

As coletas de preços até o momento têm sido benéficas e uma desaceleração mais ampla do índice poderia estar a caminho, de acordo com alguns profissionais de mercado. Contudo, mais do que o próprio resultado geral do IPCA-15, o que tende a definir o espaço para o corte da Selic é o comportamento de itens mais sensíveis à política monetária, como os preços no setor de serviços.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!