Petróleo fecha em alta impulsionado por recuo dos estoques nos EUA – Jornal do Comércio

Os contratos futuros do petróleo tiveram uma alta consistente nesta quinta-feira (220 avançando após uma queda inesperada dos estoques nos Estados Unidos, o que aliviou as preocupações dos investidores com o aumento da produção norte-americana.

Na Nymex, o petróleo WTI para abril fechou em alta de US$ 1,09 (+1,77%), a 62,77 por barril. Já na ICE, em Londres, o Brent para o mesmo mês subiu US$ 0,97 (+1,48%), a US$ 66,39 por barril.

Nesta quinta, o Departamento de Energia dos EUA (DoE, na sigla em inglês) informou que os estoques de petróleo bruto no país caíram 1,616 milhão de barris na semana passada, para 420,479 milhões de barris.

O dado contrariou as expectativas de analistas consultados pelo Wall Street Journal, que previam aumento de 1,9 milhão de barris. Já a produção diária de petróleo passou de 10,271 milhões de barris na semana passada para 10,270 milhões de barris.

O recuo dos estoques na maior economia do mundo é um alívio para os investidores deste mercado, uma vez que os americanos vinham observando um aumento dos estoques, da produção e do número das plataformas em atividade no país em semanas recentes.

Com tanto petróleo no mercado americano, os investidores temiam que os esforços da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) para cortar a produção e equilibrar os preços fossem invalidados.

No começo da semana, o ministro saudita de petróleo, Khalid al-Falih, reiterou o comprometimento da Opep com a manutenção dos cortes na produção até o fim deste ano, o que trouxe algum alívio ao mercado.

A Arábia Saudita é vista como a líder do cartel, e as palavras da autoridade trouxeram alguma confiança ao mercado.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!