Lucro do BB teve alta de 54,2% em 2017 com queda de provisão contra calote – Jornal do Comércio

O Banco do Brasil (BB) viu seu lucro líquido ajustado – que exclui efeitos de receitas e despesas extraordinários – crescer 54,2% no ano passado, para R$ 11,1 bilhões, com redução da provisão contra calotes de clientes e aumento das receitas com prestação de serviços.

O banco – o maior do País em ativos – informou que seu lucro líquido cresceu 82,5% no quarto trimestre, para R$ 3,188 bilhões. Paulo Caffarelli, presidente do BB, atribuiu o bom desempenho do banco público no ano à contenção de despesas e à melhora do cenário de inadimplência no País, o que possibilitou que o Banco do Brasil cortasse as provisões mantidas contra devedores duvidosos.

Em 2017, as reservas contra inadimplência de clientes caíram 19,9% na comparação com o ano anterior, para R$ 25,3 bilhões. Em um ano, a redução foi de quase R$ 6,3 bilhões. “Trabalhamos muito a questão de como vai se formar o mix da carteira de crédito. Não crescemos em pessoa jurídica no ano passado, tínhamos safras ruins (de risco) e fizemos um clean up (uma limpeza) das operações com large corporate (grandes empresas)”, afirmou Caffarelli. “É um trabalho focado que vamos fazer neste ano.”

A decisão de reduzir a provisão ocorreu mesmo com uma leve alta da inadimplência no banco na comparação anual. O BB encerrou 2017 com índice de atrasos acima de 90 dias em 3,74% – um ano antes, estava em 3,29%. Mas a trajetória é de queda, considerando o pico de 4,11% no segundo trimestre do ano.

 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!