Bancos assinam acordo com a PF para combater fraude bancária – Exame

O acordo visa a garantir a segurança de transações bancárias feitas por meios eletrônicos e prevê compartilhamento de informações

Por Flavia Bohone, da Reuters

access_time 26 fev 2018, 14h25

São Paulo – Os principais bancos brasileiros assinaram um acordo de cooperação técnica com a Polícia Federal para combater fraude bancária eletrônica, informou nesta segunda-feira a Febraban, entidade que representa os grandes bancos no país.

O acordo visa a garantir a segurança de transações bancárias feitas por meios eletrônicos, prevê compartilhamento de informações e terá “as mais recentes tecnologias no combate aos crimes eletrônicos” afirmou a Febraban.

“Os bancos têm como prática atuar em estreita parceria com governos, polícias e com o poder judiciário para combater crimes trocando informações e propondo novos padrões de proteção”, disse o presidente da Febraban, Murilo Portugal, em comunicado.

O acordo tem 14 signatários: Agiplan, Banco do Brasil, Banco de Brasília, Banco da Amazonia, Banrisul, Banese, Banco Neon, Bradesco, Banco Inter, Banestes, Itaú Unibanco, Original, Santander Brasil e Sicredi.

O acerto regulamenta procedimentos dos bancos para comunicar à Polícia Federal suspeitas ou confirmação de crimes e aborda o compartilhamento de informações sobre movimentação de recursos relacionados a crimes contra instituições financeiras.

Um acordo inicial nesse sentido foi assinado em 2009. Com a nova parceria, a Febraban diz que deve aumentar o número de instituições financeiras que fornecem informações importantes, privilegiando as ações de inteligência e de tecnologia.

O convênio prevê ainda disponibilizar equipe da Febraban e dos bancos, em conjunto com a Polícia Federal para entender a dinâmica de crimes nas transações bancárias, o que deve permitir a identificação mais ágil de fraudadores.

 

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!