Tesouro Direto bate recorde com 1,9 mi de investidores – Exame

Além do número de cadastrados, o estoque do programa fechou janeiro com R$ 47,2 bilhões, aumento de 13% em relação a janeiro de 2017

Por Agência Brasil

access_time 26 fev 2018, 12h45

O Tesouro Direto tem recorde de novos participantes: foram 82.568 investidores que passaram a fazer parte do programa em janeiro deste ano, de acordo com balanço divulgado hoje (26), em Brasília, pelo Tesouro Nacional. Com isso, o Tesouro Direto atingiu 1,9 milhão de investidores cadastrados, um aumento de 60% nos últimos 12 meses.

O número de investidores ativos chegou a 542 mil, uma variação de 35,1% nos últimos 12 meses. A maior parte das operações do programa é de até R$ 5 mil e elas responderam por 79% do total do Tesouro Direto, revelando uma grande presença de pequenos investidores.

O Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional – desenvolvido em parceria com a Bolsa de Mercadorias e Futuros e Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) – BM&F Bovespa – para a venda de títulos públicos federais para pessoas físicas, por meio da internet. Ele foi criado em 2002 para democratizar o acesso aos títulos públicos, permitindo aplicações com apenas R$ 30.

Estoque cresce 13% em janeiro

O estoque do programa fechou janeiro com R$ 47,2 bilhões, aumento de 13% em relação a janeiro de 2017. Títulos indexados à inflação representaram mais de 60% do estoque.

Já o Tesouro Selic, indexado à taxa de juros básica da economia, concentrou os títulos mais demandados no mês passado: 41,2%.

Apesar do aumento no número de investidores, o Tesouro registra, desde agosto, emissão líquida negativa, ou seja, no período, foram feitos mais resgates do que emissões.

Números do programa

Em janeiro, esse resultado foi de R$ 1,668 bilhão negativo, decorrente de R$ 1,8 bilhão de vendas de títulos e R$ 3,4 bilhões de resgates. Em dezembro de 2017, esse resultado havia sido de R$ 42 milhões negativos. Em janeiro de 2017, R$ 268 milhões positivos, com mais vendas que resgates.

De acordo com o coordenador-geral de Operações da Dívida Pública, Leandro Secunho, o resultado se deve em parte ao grande número de vencimentos no mês, cujo valor chegou a R$ 2 bilhões.

Além disso, há a possibilidade de investidores buscarem outros tipos de investimento. “Difícil fazer relação de um motivo ou outro”, diz.

Ele ressalta que o programa tem mais caráter de educação financeira e nem tanto de financiamento da dívida pública, embora seja usado também para esse fim. Questionado sobre o impacto na dívida, ele diz que o resultado “não apresenta risco, nem alteração de estratégia”.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!