BC: Inadimplência e juros das operações de crédito têm alta em janeiro – Valor

BRASÍLIA  –  Aumentou em janeiro a inadimplência média das operações de crédito no sistema financeiro – a taxa foi para 3,4%, ante 3,2% no fim de 2017, conforme dados do Banco Central (BC). Em janeiro do ano passado, contudo, a taxa estava em 3,7%.

Entre as empresas, a taxa média ficou em 3%, ante 2,9% em dezembro e 3,5% em janeiro de 2017. Entre as famílias, subiu para 3,7%, após ficar em 3,5% no mês final de 2017 e  marcar 4% no início daquele ano.

Com recursos livres, a inadimplência das empresas se situou em 4,8%, superando os 4,5% em dezembro de 2017. A taxa das famílias fechou janeiro em 5,2%, mesmo patamar do mês anterior. Assim, a inadimplência total com recursos livres saiu de 4,9% para 5%.

No crédito direcionado, a inadimplência total subiu de 1,5% para 1,7% do fim de 2017 para o início deste ano. A taxa para as empresas foi de 1,3% e a das pessoas físicas de 2,1%.

O BC também acusou aumento do juro médio cobrado pelo sistema financeiro em suas operações de crédito, de 25,6% em dezembro de 2017 para 26,3% em janeiro agora. Em 12 meses, no entanto, a taxa caiu 6,6 pontos.

Houve aumento do juro tanto para empresas como para famílias. A taxa das pessoas jurídicas saiu de 16,9% para 17,6%. e a das pessoas físicas foi de 31,9% para 32,3%.

Olhando o juro com recursos livres, a taxa para as pessoas físicas saiu de 55,1% ao ano em dezembro de 2017 para 55,8% em janeiro deste calendário. O custo do dinheiro para as empresas saiu de 21,6% para 22,3%. Com isso, o juro total com recursos livre fechou o mês em 41,1%, vindo de 40,3% no fim do calendário passado.

A alta dos juros médios do sistema mostra compatibilidade com a elevação do spread, que saiu de 18,9 pontos percentuais em dezembro para 19,8 pontos em janeiro. Já o custo de captação das instituições cedeu de 6,7% ao ano em dezembro para 6,5% em janeiro.

Nas operações de crédito com pessoas físicas, o “spread” ficou em 25,9 pontos percentuais, ante 25,3 pontos em dezembro. No crédito às empresas foi verificada alta de 9,9 pontos percentuais para 10,8 pontos no mês passado. Em 2017, o spread médio caiu 7 pontos para as famílias e 1 ponto para as empresas.

Os empréstimos com recursos livres são aqueles cujas taxas são definidas livremente entre os bancos e os tomadores em cada operação. Incluem, por exemplo, cheque especial, cartão de crédito e financiamento de veículos.

 

 

O crédito direcionado é composto por operações cujos juros ou cuja fonte de recursos são definidos pelo governo, como o financiamento habitacional e o crédito rural, por exemplo.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!