Exportações gaúchas registram alta de 19,6% – Jornal do Comércio

As exportações gaúchas cresceram 19,6% em janeiro na comparação com o mesmo mês do ano passado, totalizando US$ 1,285 bilhão, o equivalente a US$ 210,524 milhões a mais. No primeiro mês de 2018, houve elevação tanto no volume (1,1%) quanto nos preços (18,3%), sendo que fumo em folhas, soja em grão e veículos automotores foram os produtos que mais contribuíram para a elevação nas vendas externas gaúchas. O Rio Grande do Sul foi o quarto maior estado exportador do Brasil em janeiro, com participação de 7,57% nos embarques ao exterior, atrás de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Os dados foram divulgados ontem pela Fundação de Economia e Estatística (FEE).

Houve acréscimo no valor exportado dos produtos básicos e manufaturados e redução no valor dos semimanufaturados. As vendas dos produtos básicos totalizaram US$ 594,062 milhões, com incremento de US$ 120,223 milhões (elevações no volume de 18,8% e nos preços de 5,6%), respondendo por 46,22% do total exportado do mês. As exportações dos produtos manufaturados atingiram US$ 551,391 milhões (42,90% da pauta exportadora), com acréscimo de US$ 113,727 milhões (incrementos de 5,4% no volume e 19,5% nos preços). Por último, os semimanufaturados lograram US$ 128,335 milhões (9,98% do total exportado ao exterior), exibindo redução de US$ 30,402 milhões (queda de 54,0% no volume e alta de 75,8% nos preços).

Os principais produtos exportados pelo Rio Grande do Sul foram soja em grão (14,08%), fumo em folhas (9,61%), polímeros (7,03%), carne de frango (6,48%) e automóveis de passageiros (6,27%). Esses cinco produtos representaram 43,47% do valor exportado total pelo Rio Grande do Sul.

Vinícius Dias Fantinel, economista do Centro de Indicadores Econômicos e Sociais da FEE, salienta que o elevado incremento no volume das exportações de automóveis de passeio tornou o seu valor exportado mais que três vezes superior ao de janeiro de 2017. “Assim como em 2017, a maior parcela desses veículos automotores foi destinada a países latino-americanos, resultado, na sua maioria, de acordos automotivos do governo brasileiro com outros países da América Latina”, explica Fantinel. Por outro lado, os maiores recuos nas vendas externas ocorreram nos produtos óleo de soja em bruto, trigo em grãos e carne de suíno.

China (22,05%), Argentina (12,10%), Estados Unidos (9,65%), Bélgica (4,11%) e Chile (3,41%) foram os principais países de destino dos produtos gaúchos. Juntos, foram responsáveis por 51,32% das exportações gaúchas em janeiro de 2018.

 

Balança comercial teve superávit de US$ 2,710 bilhões no mês passado, segundo a FGV/Icomex

O superávit da balança comercial atingiu o montante de US$ 2,710 bilhões em janeiro, resultado ligeiramente inferior ao de janeiro de 2017, quando foi de US$ 2,768 bilhões. Os dados são do Indicador do Comércio Exterior (Icomex), divulgado ontem pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

O resultado ainda não indica que o comércio exterior, este ano, terá saldos similares aos de 2017. A previsão é de um saldo positivo mais baixo da balança comercial, entre US$ 48 bilhões e US$ 52 bilhões. “As razões são: o maior crescimento no nível de atividade econômica e o menor crescimento nos preços das commodities em 2018 comparado com 2017. Surpresas, no entanto, podem ocorrer. Um saldo maior pode ocorrer com um desempenho mais favorável no volume das commodities e nas exportações de manufaturas, associado ao aumento esperado do comércio mundial em 2018”, diz a FGV.

O Icomex tem como objetivo contribuir para a avaliação do nível de atividade econômica do País, por meio da análise mais aprofundada dos resultados das importações e exportações. Em valores, as exportações cresceram 16%, enquanto as importações subiram 14% em janeiro, ante o mesmo mês de 2017. Os preços das exportações aumentaram 11,8% no período, enquanto os das importações subiram 15,4%. Houve aumento nos preços exportados e importados tanto entre commodities quanto entre não commodities. O destaque foi a elevação de 40,1% nos preços das commodities.

O volume de exportações cresceu 2% e o de importações subiu 1,5%. Em janeiro, a agropecuária liderou o avanço no volume das exportações (45,5%), seguida pela indústria de transformação (2,3%). Entre as importações, houve recuo no volume da agropecuária e extrativa, mas alta na indústria de transformação (4,1%).

 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!