Meirelles e Ilan: o desafio de debater o futuro do Brasil na OCDE – Exame

ÀS SETE – O ministro da Fazenda e o presidente do BC se reúnem com o secretário-geral da organização – grupo dos países mais ricos do mundo

Por EXAME Hoje

access_time 28 fev 2018, 06h52 – Publicado em 28 fev 2018, 06h38

Nesta quarta-feira, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, se encontram com o secretário-geral da OCDE, Angel Gurría, para debater o futuro do Brasil no grupo dos países mais ricos do mundo.

A partir das 10 horas da manhã, Angel Gurría apresentará um relatório econômico do Brasil, em que vai apontar a situação dos preços de transferência para fins de tributação, além de avaliar o potencial do Brasil para se alinhar com as regras de tarifação da OCDE.

A relação entre o Brasil e a organização é de longa data. Desde 1990 o país se relaciona om a organização, e, em 2015, os dois assinaram um acordo de cooperação mútua. Em maio do ano passado, o Brasil formalizou seu pedido de entrada na organização.

Os países-membros da OCDE são responsáveis por 62% do PIB global e por dois terços dos negócios internacionais, além de possuir uma espécie de “selo de qualidade”, que estimula investimentos internacionais e consolida algumas reformas econômicas. Ou seja, ter um lugar garantido no clube é um privilégio que muitos países querem ter.

A participação do país no grupo que hoje conta com 35 membros, porém, significaria o sacrifício e a alteração em algumas legislações e a modificação de sistema tributário brasileiro.

Relações trabalhistas e de direitos humanos também contam como quesito para a admissão de um país na Organização. Junto com o Brasil, cinco países entraram com pedidos de candidatura (Argentina, Bulgária, Croácia, Peru e Romênia), e três estão em processo de integração (Colômbia, Costa Rica e Lituânia).

O abandono da pauta reformista, e as preocupação eleitorais de Meirelles, o grande embaixador da importância de entrar na OCDE, certamente não ajudam o pleito brasileiro.

Fonte Oficial: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!