Taxas futuras de juros mostram viés de baixa com dólar e rendimento de Treasuries – Jornal do Comércio

As taxas futuras passaram a exibir viés de baixa, na esteira da queda do dólar ante o real e dos juros dos Treasuries mais longos, após oscilarem ao redor dos ajustes mais cedo. Às 9h57min desta quarta-feira (28) o contrato de DI para janeiro de 2019 estava em 6,58%, ante 6,60% no ajuste anterior.

O contrato de DI para janeiro de 2021, mais negociado, estava a 8,47%, ante 8,50% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2023 estava a 9,28%, ante 9,29% no ajuste anterior. No câmbio, o dólar à vista caía 0,20%, aos R$ 3,2426, enquanto o dólar futuro de abril recuava 0,35%, aos R$ 3,2530.

Os agentes de renda fixa estão à espera da segunda leitura do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos no quarto trimestre de 2017 (10h30min, de Brasília) e do resultado primário do setor público consolidado de janeiro (14h30min, de Brasília).

Na terça-feira (27) as taxas de longo prazo fecharam em leve alta, após três sessões de queda firme, influenciados pelo discurso do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, que não descartou uma alta maior dos juros nos Estados Unidos caso a inflação fique mais forte.

Mais cedo, foi revelado que a taxa de desemprego brasileira subiu para 12,2 no trimestre até janeiro de 2018, ante 11,8% no trimestre até dezembro de 2017, ficando acima também da mediana das projeções do mercado (12,0%) e dentro do intervalo das estimativas (11,7% e 12,6%).

Já a confiança da indústria subiu 1 ponto em fevereiro ante janeiro, alcançando 100,4 pontos. Dessa maneira, o indicador ultrapassou o nível neutro de 100 pontos, saindo do patamar de pessimismo, pela primeira vez desde setembro de 2013 (101,7 pontos).

Também o Índice de Confiança de Serviços (ICS) avançou 1,3 ponto na passagem de janeiro para fevereiro, para 93,1 pontos, na série com ajuste sazonal. Com o resultado, o índice atinge o maior nível desde abril de 2014, quando estava em 95,9 pontos.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!