Petróleo opera em alta, após problemas na produção da Líbia e de olho na AIE – Jornal do Comércio

O petróleo opera em alta na manhã desta segunda-feira (5), apoiado por informações de que houve problemas na produção da Líbia no fim de semana. Além disso, investidores analisam o relatório da Agência Internacional de Energia (AIE), divulgado à pouco.

Às 8h06min (de Brasília), o petróleo WTI para abril tinha ganho de 0,60%, a US$ 61,62 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para maio avançava 0,37%, a US$ 64,61 o barril, na ICE.

Relatos do fim de semana de que a produção líbia recuou cerca de 380 mil barris por dia ajudaram os mercados a se recuperar das quedas da última semana. “Esta produção é bem inconstante”, disse Giovanni Staunovo, analista de commodities do UBS Wealth Management, em referência aos repetidos problemas da Líbia, que enfrenta um quadro de instabilidade.

O problema na oferta já se soma a dificuldades enfrentadas em importantes produtores, como a Venezuela, que lida com uma crise econômica. Na quinta-feira, a agência eleitoral do país disse que uma votação presidencial planejada para 22 de abril havia sido atrasada em um mês, o que aumenta a incerteza política e econômica.

O barril do Brent recua cerca de 9% desde que atingiu a máxima em 3 anos, acima de US$ 70, em janeiro. Ele tem sido pressionado pela crescente produção dos Estados Unidos.

“Os atuais problemas na produção apenas ocultam o fato de que o mercado de petróleo está amplamente abastecido graças à crescente produção dos EUA”, afirmou em nota diária o Commerzbank.

A AIE previu em seu relatório desta segunda-feira que os EUA devem se tornar o principal produtor de petróleo até 2023, com um recorde de 12,1 milhões de barris por dia. O patamar é cerca de 2 milhões de barris por dia superior ao registrado no ano atual. A produção do país tem avançado graças ao xisto, ajudado por avanços tecnológicos e pela maior eficiência no setor. 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!