Petróleo se recupera após perdas na semana passada – Jornal do Comércio

O petróleo se recuperou e fechou em alta nesta segunda-feira (5), após verificar duras perdas na semana passada, apoiado por sinais de interrupção da oferta, ao passo em que investidores ponderam informações de um relatório divulgado pela Agência Internacional de Energia (AIE), que enfatizou a necessidade investimento no mercado para evitar a escassez da commodity após 2020.

Na Nymex, o petróleo WTI para abril fechou em alta de US$ 1,32 (+2,15%), a US$ 62,57 por barril. Já na ICE, em Londres, o petróleo Brent para maio subiu US$ 1,17 (1,81%) e fechou em alta de US$ 65,54 por barril.

No começo da sessão, os contratos já operavam em alta, após notícias de problemas na oferta da Líbia. O petróleo aumentou os ganhos após a AIE dizer que vê sinais concretos de que a demanda por petróleo atingirá o pico nos próximos cinco anos, num momento em que se debate se esforços para conter o impacto das mudanças climáticas possam eventualmente restringir o consumo global de petróleo.

A agência disse ainda que o aumento da produção e das plataformas em atividade nos Estados Unidos devem fazer com que o país supere a Rússia no posto de maior produtor de petróleo do mundo nos próximos anos.

A AIE previu que os EUA devem se tornar o principal produtor de petróleo até 2023, com um recorde de 12,1 milhões de barris por dia. Na semana passada, o petróleo caiu mais de 3% diante do aumento dos estoques e da produção norte-americana.

Há o temor no mercado de que a aceleração das atividades do setor nos EUA invalide os esforços da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) para cortar a produção a fim de equilibrar oferta e demanda e elevar os preços.

Hoje o petróleo se recuperou e ainda ganhou um impulso após o diretor executivo da AIE, Fatih Birol, afirmar em evento em Houston, no Texas, que a instituição pode cortar ainda mais a projeção de produção de petróleo da Venezuela por causa da crise econômica que o país vizinho enfrenta.

Mais cedo, a AIE havia informado que a produção de petróleo da Venezuela vai cair para o nível de 700 mil barris por dia (bpd) em 2023. Quando o ex-presidente Hugo Chávez chegou ao poder, em 1999, a exploração era de 1,6 milhão de bpd.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!