PMI composto sobe para 53,1 pontos em fevereiro, diz IHS Markit – Jornal do Comércio

O Índice de Gerente de Compras (PMI, na sigla em inglês) de Serviços do Brasil subiu de 50 pontos em janeiro para 52,7 pontos em fevereiro, informou a IHS Markit nesta segunda-feira (5). Dessa maneira, o PMI Consolidado, que reúne os indicadores de serviços e da indústria, atingiu 53,1 pontos no segundo mês de 2018 depois de alcançar 50,7 pontos em janeiro. O indicador da indústria, divulgado na semana passado, subiu de 51,2 ponto em janeiro para 53,2 na mesma base de comparação.

“O crescimento econômico no Brasil melhorou consideravelmente em fevereiro, com a atividade do setor de serviços aumentando mais fortemente do que em qualquer momento dos últimos cinco anos”, escreveu em relatório a economista da instituição, Pollyanna de Lima. “Uma tendência otimista para a produção no setor industrial proporcionou um impulso adicional para a expansão, com o setor liderando a recuperação”, acrescentou.

Ao marcar mais de 50 pontos, o indicador do setor de serviços apontou um retorno ao crescimento da produção. A melhora aconteceu por conta do fortalecimento da demanda básica, ao crescimento do volume de novos pedidos e também em razão da oferta de

novos serviços. Apesar da expansão importante, a sentimento positivo e a confiança dos prestadores de serviços sobre o crescimento futuro foram considerados contidos pela Markit.

“O otimismo contido entre as empresas de serviços refletiu-se em uma nova contração no número de funcionários, a mais acentuada em seis meses”, segundo relatório da Markit. De acordo com a consultoria, o nível de empregos tem diminuído mensalmente ao longo dos últimos três anos. “No setor de serviços, a capacidade ociosa e as pressões de custos intensas dificultaram novamente a contratação”, escreveu Pollyanna.

No que se refere a preços, os custos do setor de Serviços aumentaram novamente, refletindo a inflação acumulada na tarifa de eletricidade e nos preços dos combustíveis. Segundo relatório da Markit, algumas empresas tentaram repassar aos seus clientes parte da carga adicional de custos, (…) porém, a taxa de inflação de preços de venda atenuou-se em relação à observada no início do ano e foi marginal”.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!