Ibovespa perde força no fim do pregão e retorna aos 85 mil pontos – Valor

SÃO PAULO  –  Num dia marcado por fortes oscilações nas ações da Petrobras, o Ibovespa não conseguiu sustentar a alta de 1% verificada no começo da sessão desta terça-feira (6) e fechou em queda de 0,43%, aos 85.653 pontos, com um movimento de realização de lucros na parte final do pregão.

O giro financeiro do indicador chegou a R$ 8,85 bilhões, acima dos R$ 8,2 bilhões movimentados na sessão de segunda (5).

Com o desempenho desta terça, o Ibovespa acumula retração de 0,13% na semana — em março, tem valorização de 0,35%.

Governo x Petrobras

As ações PN da Petrobras foram o destaque de hoje, fechando em queda de 0,99%, a R$ 21,90, e o maior volume de negociações do dia, com R$ 1,27 bilhão. Os papéis apresentaram alta volatilidade, com cotações variando entre R$ 21,86 (-1,17%) e R$ 22,63 (+2,3%).

No início do dia, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que o governo estaria discutindo uma nova política de reajuste dos combustíveis com a Petrobras, o que gerou instabilidade no mercado. Mais tarde, a estatal disse que não foram cogitadas alterações nas regras, levando os papéis para o campo positivo, mas a alta não se sustentou.

Segundo analistas, a existência de um possível ruído na comunicação entre governo e Petrobras, em conjunto com um movimento de realização de lucros, impulsionou a queda nas ações da estatal no fim do dia. Os investidores também optaram por embolsar os lucros em Vale ON — os papéis, que chegaram a operar em alta de 2,8%, fecharam em retração de 0,48%.

BRF

Ainda entre as ações em queda, destaque para BRF ON que, após o recuo de quase 20% ontem, fechou o dia com perda de 2,46%. O volume chama a atenção: na Bovespa, 46 milhões de ações foram negociadas ontem e, hoje, o montante chegou a 22,67 milhões — a média diária é de 11 milhões de papéis. No exterior, 16 milhões de ADRs foram comercializadas ontem e, 7,97 milhões, hoje, também acima da média diária de 4 milhões de títulos. Isso significa que o movimento de queda das ações foi sustentado tanto por investidores locais quanto pelos estrangeiros. Muitos fundos internacionais têm restrição, por questão de compliance, a carregar papéis de empresas sob algum tipo de investigação.

A tendência de queda do Ibovespa foi freada pelo bom desempenho do Banco do Brasil ON, que terminou o dia em alta de 2,21%. O comportamento destoou do restante do setor: Itaú Unibanco PN recuou 0,36%, e Bradesco PN teve valorização de 0,18%.

Na ponta positiva, destaque para Usiminas PNA (+4,13%), maior alta do indicador. Do lado oposto, Gerdau PN (-4,39%) liderou as perdas.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!