Aneel decide manter a atual remuneração às distribuidoras – Jornal do Comércio

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu manter em 8,09% a taxa de remuneração sobre os investimentos das distribuidoras de energia elétrica. O percentual, que vem sendo aplicado há três anos, é usado como referência para os lucros da empresa e valerá até dezembro de 2019.

Caso uma concessionária mantenha seus serviços, investimentos e receitas dentro dos padrões estabelecidos pela Aneel, deverá ter esse percentual de lucro todos os anos. Se conseguir aumentar a eficiência, aumentará também a rentabilidade. Por outro lado, se a empresa tiver muitas perdas, o lucro será menor. O percentual, conhecido tecnicamente pela sigla WACC, será usado nos próximos ciclos de revisão das tarifas das distribuidoras. O impacto da decisão nos reajustes, no entanto, é pequeno, já que as contas de luz incluem outros fatores (como compra de energia,subsídios e impostos).

Ao longo das discussões, a Aneel chegou a considerar uma redução na taxa. A área técnica do órgão propôs que a remuneração fosse reduzida para 7,5%.

Durante a reunião da Aneel, as distribuidoras reclamaram e consideraram que uma redução impactaria na capacidade de investimento das empresas. O presidente da Associação Brasileira de Distribuidoras de Energia Elétrica (Abradee), Nelson Leite, considerou a decisão da agência “satisfatória”.

Câmara dos Deputados instala comissão para avaliar privatização da Eletrobras

A Câmara dos Deputados discute, daqui para a frente, em comissão especial, o projeto de lei de privatização da Eletrobras. A proposta é considerada uma das prioridades da agenda econômica do presidente Michel Temer. O governo encaminhou o texto ao Congresso Nacional no final de janeiro e trabalha com o mês de abril como data para votação.

Pela proposta apresentada, a privatização ocorrerá por meio do lançamento de novas ações no mercado até que a quantidade transforme a União em acionista minoritária. O projeto também prevê que, para preservar interesses estratégicos nacionais, os novos acionistas serão proibidos de acumular mais de 10% do capital da empresa.

A privatização da Eletrobras foi anunciada pelo governo em agosto do ano passado. De acordo com o Ministério de Minas e Energia, o valor patrimonial da Eletrobras é de R$ 46,2 bilhões, e o total de ativos da empresa soma R$ 170,5 bilhões.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!