Ibovespa reduz perdas na reta final e sustenta os 85 mil pontos – Valor

SÃO PAULO  –  Após cair 1,46% no início da tarde desta quarta-feira (7), atingindo a mínima de 84.397 pontos, o Ibovespa reduziu o ritmo de perdas na reta final do pregão e encerrou o dia acima do nível de 85 mil pontos. A melhora nas bolsas americanas compensou parcialmente o impacto gerado pela queda nos preços das commodities.

O indicador terminou o dia em queda de 0,2%, aos 85.484 pontos, e giro financeiro de R$ 8,68 bilhões, montante inferior ao movimentado ontem, de R$ 8,85 bilhões. Com o desempenho desta quarta, o Ibovespa acumula retração de 0,32% na semana — em março, o índice tem alta de 0,15%.

Destaques

O destaque foi Petrobras PN, com desvalorização de 1,05% e o maior giro financeiro do dia, com R$ 1,1 bilhão. Petrobras ON, por sua vez, recuou 1,35%, com R$ 234 milhões negociados. A forte retração nas cotações do petróleo impactou diretamente os papéis da estatal no pregão de hoje — tanto os contratos do WTI para abril quanto os do Brent para maio fecharam em queda superior a 2%.

Segundo um operador de mercado, esse cenário abriu a possibilidade de realização de lucros nas ações da estatal, dada a valorização recente dos papéis da empresa. Em 2018, Petrobras PN ainda acumula alta de 34,6%, enquanto Petrobras ON tem ganho de 38,1%.

Vale

Lógica semelhante foi aplicada às ações ligadas ao minério de ferro. Os preços da commodity tiveram, hoje, a quarta queda consecutiva, acumulando retração de 3,5% em março, o que impactou Vale ON, que fechou com desvalorização de 0,52% e o segundo maior giro financeiro do dia, de R$ 822 milhões.

Temores quanto a um possível movimento de venda em massa das ações da mineradora também influenciaram o desempenho da Vale, uma vez que chegou ao fim o bloqueio (“lockup”) que impedia, por seis meses, a comercialização dos papéis por fundos de investimento que detém participação relevante na empresa.

O assunto voltou aos holofotes com a convocação de uma assembleia extraordinária pela Litel Participações, representante dos fundos de pensão das estatais, para votar a entrega de 201,142 milhões de ações da Vale aos acionistas.

O receio é de que, ao receberem os papéis, os fundos poderão ir ao mercado e se desfazer dos ativos. No entanto, fontes consultadas pelo Valor afirmam que os fundos reunidos na Litel estão ‘alinhados’, e que não haverá venda desorganizada das ações da mineradora.

Eletrobras

Ainda na ponta negativa, destaque para Eletrobras PNB (-4,51%) e Eletrobras ON (-3,07%), em meio às preocupações com a capacidade do governo em avançar na agenda de privatizações. Na noite de terça, a Câmara adiou a instalação da Comissão Especial que deve analisar o processo de desestatização da companhia.

Quanto às siderúrgicas, a indefinição quanto a uma possível adoção de medidas protecionistas pelos Estados Unidos em relação às importações de aço e alumínio segue influenciando o setor. Usiminas PNA e CSN ON recuaram 2,84% e 0,33%, respectivamente, enquanto Gerdau PN avançou 2,51% — a companhia mantém plantas nos Estados Unidos e seria menos afetada pela medida.

BRF 

Na ponta positiva, destaque para BRF ON (+4,23%), a maior alta do indicador nesta quarta-feira, após acumular queda de 21,7% nas duas sessões anteriores. No lado oposto, Smiles ON (-9,88%) liderou as perdas, após a companhia divulgar um corte na política de pagamento de dividendos aos acionistas.

Fonte Oficial: Valor.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!