Produtores de leite buscam mercado externo para escoar excedente de produção – Jornal do Comércio

Outro dirigente que demonstra uma visão otimista para a economia em 2018 é o secretário executivo do Sindicato da Indústria de Laticínios do Rio Grande do Sul (Sindilat-RS), Darlan Palharini. Em particular para o setor lácteo, uma das pautas que vem sendo debatida com os países do Mercosul relaciona-se com as importações de produtos e aquisições de insumos da cadeia do leite. Palharini adianta que o Estado, Santa Catarina e Paraná estão buscando canais de exportação.

As vendas para o exterior significariam uma proteção às variações do mercado brasileiro. “Em 2017, pela primeira vez nos últimos 20 ou 30 anos, tivemos uma redução no consumo interno e ficamos sem opção para escoar a produção, o que ocasionou a queda de preço pelo excesso de oferta”, lembra o executivo do Sindilat-RS.

Sobre os impactos no setor do agronegócio com as operações Leite Compensado e, mais recentemente, a Carne Fraca, que apuram irregularidades na comercialização de lácteos e de carne, Palharini comenta que sempre gera alguns reflexos. Contudo, o secretário executivo do Sindilat ressalta que as ações demonstram que existe fiscalização e um controle sério a respeito dos alimentos.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!