BRDE contratou R$ 2,2 bilhões em financiamentos em 2017 – Jornal do Comércio

O BRDE contratou R$ 2,2 bilhões em financiamentos nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul em 2017. O diretor-presidente, Orlando Pessuti, ressaltou que o banco encerrou o ano mantendo-se como o maior repassador de recursos entre as instituições credenciadas pelo Bndes na Região Sul e o sexto colocado quando são considerados todos os estados do País.

“Este desempenho do BRDE produziu repercussões socioeconômicas importantes para o Sul. Foram 33.065 empregos criados ou mantidos, 6.613 diretos e 26.452 indiretos. As operações também geraram o recolhimento de ICMS incremental de R$ 359 milhões que os três estados destinarão às comunidades através de políticas públicas”, disse Pessuti.

Das 4.744 operações de crédito realizadas pelo BRDE, 79% foram para Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPMEs), num volume de R$ 1.013.323,00. A média de R$ 463 mil por contratação demonstra o cumprimento do compromisso do BRDE com o fomento ao desenvolvimento econômico e social sustentável para empreendimentos de todos os portes.

Somado o valor de R$ 2,2 bilhões das contratações aos recursos próprios dos investidores, o total aplicado nos projetos financiados pelo banco chega a R$ 4,071 bilhões.

Assim, o banco elevou para R$ 132,7 bilhões, em valores atualizados, o volume de recursos que aplicou nos seus 56 anos de atuação na Região Sul.

Nas contratações em 2017, foi destaque entre os programas de crédito do banco o BRDE Produção e Consumo Sustentáveis (PCS), com R$ 45,7 milhões destinados a empreendimentos de desenvolvimento sustentável – econômico, ambiental e social – na região Sul do Brasil.

Como o primeiro banco a exigir Licença Ambiental para financiar projetos de empresas, o BRDE mantém acordo de cooperação com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD/ONU) para a promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Os projetos financiados pelo BRDE nos setores agropecuário, industrial e de serviços a ele associados, da agricultura familiar e do cooperativismo, assim como as recentes contratações no setor eólico, os projetos de inovação e de produção e consumo sustentáveis resultam na elevada aderência de 83% aos ODS.

 

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!