Embraer registra geração livre de caixa ajustado de R$ 1,347 bilhões no 4º trimestre – Jornal do Comércio

A Embraer registrou uma geração livre de caixa ajustado de R$ 1,347 bilhão no quarto trimestre de 2017, ante um uso livre de caixa ajustado de R$ 102,0 milhões no terceiro trimestre e uma geração livre de caixa ajustado de R$ 962,8 milhões no último trimestre de 2016.

Com isso, a fabricante brasileira encerrou o ano passado com uma geração livre de caixa ajustado de R$ 1,338 bilhão, excluindo impactos não recorrentes no caixa de R$ 287,8 milhões. Em release de resultados, a Embraer ressalta que superou suas estimativas para o ano, destacando o uso livre de caixa ajustado de R$ 1,479 bilhão que havia registrado em 2016.

Conforme a companhia, esse desempenho decorre principalmente do maior caixa líquido ajustado gerado pelas atividades operacionais (líquido de investimentos financeiros e ajustado pelos impactos não recorrentes no caixa) em 2017, no valor de R$ 3,256 bilhões, ante os R$ 813,9 milhões gerados no ano anterior. A Embraer cita também a queda dos investimentos em Capex e ativos intangíveis no ano passado.

“Os principais fatores que resultaram em um maior fluxo de caixa operacional em 2017 foram a uma melhoria acentuada no capital de giro (particularmente estoques mais baixos e adiantamentos de clientes maiores) e menores adições líquidas ao Imobilizado”, diz o documento.

A Embraer registrou R$ 249,8 milhões em adições líquidas ao imobilizado no quarto trimestre de 2017, abaixo dos R$ 255,7 milhões de igual período de 2016. Do total contabilizado no quarto trimestre do ano passado, o Capex representou R$ 224,3 milhões, enquanto as adições ao programa pool de peças de reposição foram de R$ 25,5 milhões. Se excluído o Capex contratado dos programas do segmento de defesa & segurança, o Capex somou R$ 223,1 milhões entre outubro e dezembro.

Em 2017, as adições líquidas ao imobilizado atingiram R$ 702,8 milhões, contra R$ 1,352 bilhão registrado em 2016. Já o Capex totalizou R$ 560,7 milhões, abaixo das estimativas da Embraer.

Já as adições ao intangível foram de R$ 406,6 milhões no quarto trimestre, ante os R$ 453,2 milhões reportados um ano antes. O montante está relacionado ao desenvolvimento de produtos, principalmente do programa dos E-Jets E2, no segmento de aviação comercial. No trimestre, não houve recebimentos relacionados à contribuição de parceiros, o que representou um investimento líquido de R$ 406,6 milhões em desenvolvimento, destaca a companhia.

Assim, os investimentos da fabricante em desenvolvimento de produtos somaram R$ 1,503 bilhão em 2017. De acordo com a Embraer, esse montante foi parcialmente compensado pelos R$ 268,9 milhões provenientes das contribuições de parceiros, de modo que o investimento líquido foi de R$ 1,234 bilhão, “pouco abaixo de sua estimativa anual”.

Fonte Oficial: Jornal do Comércio.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do World Câmbio.

Comentários

você pode gostar também

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!